Fonte: OpenWeather

    Parintins


    Vereadora Nêga Alencar cobra merenda escolar para alunos em Parintins

    A vereadora de Parintins Nêga Alencar pede distribuição imediata da merenda escolar para alunos da rede municipal, na maioria dos casos, são de famílias carentes dos bairros periféricos do município.

    | Foto:

    PARINTINS (AM) - A demora por parte da Prefeitura de Parintins em executar o cumprimento da Lei Federal que estabelece a distribuição dos alimentos da merenda escolar às famílias dos estudantes que tiveram suspensas as aulas na rede pública de educação básica devido à pandemia do coronavírus (Covid-19) é pauta de reivindicação da vereadora Nêga Alencar (PSC).

    Ela cobra a distribuição imediata da merenda escolar para alunos da rede municipal de educação que, na maioria dos casos, são de famílias carentes dos bairros periféricos do município.

    De acordo com a parlamentar, enquanto em outros municípios e Estados os estudantes já receberam o auxílio individual por família com os produtos alimentícios da merenda escolar, em Parintins, apesar de ofício de seu gabinete cobrando a distribuição da merenda e da manifestação da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), Polo de Parintins, também cobrando informações urgentes sobre a distribuição da merenda escolar na cidade, nenhuma informação foi publicada pelos meios de comunicação da Prefeitura ou da Secretaria de Educação de Parintins.

    “Nem a assessoria da Prefeitura de Parintins, tampouco a Secretaria de Educação tiveram a decência de responder meu ofício enquanto vereadora de Parintins para informar sobre o fornecimento de merenda escolar para crianças e adolescentes da rede pública e municipal de ensino. O ofício foi protocolado no dia 7 de abril e nenhuma resposta foi dada”, cobrou a vereadora.

    Para Nêga Alencar, é inadmissível que essa ajuda ainda não esteja na casa das famílias de estudantes da rede municipal de educação.

    A parlamentar ressalta que neste momento as pessoas mais afetadas por essa crise são as mais pobres, sendo que várias crianças e adolescentes dependem da merenda escolar para complementar a alimentação, isso quando esta não é a única refeição garantida do dia.

    A vereadora criticou a inércia da Prefeitura de Parintins, que ignorou o ofício de seu gabinete e até mesmo a cobrança da Defensoria Público do Estado do Amazonas.

    Com informações da assessoria