Fonte: OpenWeather

    Opinião-Articulistas


    As descobertas da Astronomia na Idade Média

    Confira um panorama sobre as principais figuras desta época que lutaram - e morreram - para mostrar que nós não somos o centro do Universo

    Trabalhos nesta época serviram de fontes para o primeiro livro de astronomia do Ocidente, o “Tratado da Esfera” de Johannes de Sacrobosco. | Foto: Divulgação

    Manaus - A astronomia na Idade Média pouco evoluiu. Suas bases continuaram sendo baseadas no livro de Ptolomeu, o “Almagesto”.

    Porém, em 1252, o rei de Castela, Afonso X, solicitou que cerca de 50 astrônomos fizessem uma revisão nas tabelas e dados do Almagesto para que confirmassem ou não essas informações.

    O resultado disso ficou conhecido como as “Tabelas Alfonsinas”. Esse trabalho serviu de fonte para o primeiro livro de astronomia do Ocidente, o “Tratado da Esfera” de Johannes de Sacrobosco.

    Leia também: Tem curiosidade sobre astronomia? Veja como tudo começou

    Vários astrônomos se destacaram neste período e  permitiram que a astronomia se desenvolvesse como ciência. Entre eles, alguns destaques:

    Nicolau Copérnico (1473 - 1543)

    Estabeleceu o sistema heliocêntrico. Sofreu influência da astronomia bizantina. Neste sistema, o sol seria o centro do universo com os planetas, cometas e estrelas fixas girando em torno. Enfrentou uma grande resistência da Igreja Católica da época.

    Tycho Brahe (1546 - 1601)

    Descobriu erros nas tabelas afonsinas e realizou ajustes. Em 11 de novembro de 1572, avistou uma supernova na constelação de Cassiopéia. Conseguiu reduzir a imprecisão das medidas de Ptolomeu de dez minutos de arco para um minuto, além de calibrar os seus próprios instrumentos.

    Johannes Kepler (1571 - 1630)

    Descobriu as três leis que determinam os movimentos planetários. Em 1619, Kepler publicou a obra “Harmonices Mundi”, em que as distâncias e os períodos dos planetas estão relacionados à terceira lei. Esta lei determina que o quadrado do período é proporcional ao cubo da distância média do planeta ao sol.

    Galileu Galilei (1564 - 1642)

    Construiu uma luneta ( que viria a ser o atual telescópio) baseado na notícia que um holandês, Hans Lippershey, havia construído uma e que permitia observar um objeto à distância.

    Era um instrumento simples que aumentava apenas três vezes. Mais tarde construiu outra luneta que chegou a aumentar 30 vezes. Com essa luneta realizou grandes observações e descobriu que a lua possuía montanhas. Em 1610 descobriu quatro satélites de Júpiter e seus movimentos em torno dele.

    Além disso, descobriu as principais estrelas da constelação Plêiades, os anéis de saturno e manchas solares. Por causa de suas descobertas, que destruiu o sistema geocêntrico, foi sentenciado pela Inquisição a 70 anos de prisão por heresia e obrigado a renegar suas descobertas.

    Em 1822, a Igreja Católica retirou as obras de Copérnico, Kepler e Galileu da lista de livros proibidos. Em 1980, o papa João Paulo II removeu os últimos vestígios de resistência da Igreja Católica.

    Isaac Newton (1643 ~ 1727)

    Publicou sua obra “Philosophiae naturalis principia mathematica”, ou "Princípios Matemáticos da Filosofia Natural", que estabeleceu de maneira revolucionária as bases da mecânica e a lei da gravitação. Inventou o telescópio refletor, que utilizava espelhos.

    Suas obras versaram sobre o pêndulo, projéteis, fricção do ar, hidrostática e propagação de ondas. Seu terceiro volume dos Principia estabeleceu as leis dos movimentos dos corpos celestes.

    Foi considerado juntamente com Gottfried Wilhelm Leibnitz, o criador do cálculo diferencial e Integral. Também decompôs a luz branca em seu espectro através de um prisma.

    Carl Friedrich Gauss (1777 - 1855)

    Só é comparado a Isaac Newton. Contribuiu com a astronomia com a teoria da determinação de órbitas e mecânica celeste, geodésica avançada e criação do método dos mínimos quadrados.

    Outros brilhantes cientistas desta época também se destacaram com trabalhos sobre mecânica celeste, entre eles: Euler, Lagrange, Laplace, Herschel, Bessel, Struve. Aliás, Bessel realizou a primeira medida de paralaxe trigonométrica de uma estrela (61 Cygni), o que permitiu calcular sua distância em 1838.

    Foi uma realização histórica que representou o ponto de partida para as pesquisas do espaço cósmico.

    Apesar do que a maioria das pessoas acredita, a Idade Média gerou conhecimentos sobre a astronomia muito importantes para que outros pensadores de eras posteriores pudessem realizar seus trabalhos.

    Mesmo enfrentando o poder da Igreja Católica através da Inquisição, muitos se atreveram a questionar os ensinamentos que estabeleciam a supremacia do nosso planeta sobre o restante do universo, colocando o homem como seu centro.

    As descobertas de Copérnico, Galileu e outros que mostraram que a Terra era apenas um pequeno ponto no espaço fizeram cair por terra as teorias que vinham sendo defendidas a milênios e fizeram a humanidade sair da Idade das Trevas e iniciar uma nova era de grandes saltos no conhecimento do espaço cósmico e do lugar da humanidade nesse novo universo.

    Leia mais

    Unicamp abre concurso com salários de até R$ 10 mil para professores

    Tradição e tecnologia em xeque nas universidades

    Unicamp abre concurso com salários de até R$ 10 mil para professores