Fonte: OpenWeather

    EDITORIAL


    1º de maio, o que comemorar com o aumento do desemprego no Brasil?

    O quadro que se desenha em nosso país não oferece nenhum motivo para comemoração, sim para reflexão

    O número de desempregados aumentou em março, conforme dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
    O número de desempregados aumentou em março, conforme dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) | Foto: Divulgação


    O que comemorar no dia 1º de maio? Esta foi a pergunta que norteou o pensamento de milhares de desempregados no país neste 1º de maio. Na verdade, o quadro que se desenha em nosso país não oferece nenhum motivo para comemoração, sim para reflexão.

    Comemorar o quê? se a recuperação da economia está ocorrendo a passos mais lentos do que o esperado. Comemorar o quê? se o número de desempregados aumentou em março, conforme dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Passou de 12,3 milhões, no último trimestre de 2017, para 13,7 milhões, nos primeiros três meses deste ano. Nesse mesmo período, o rendimento médio ficou estagnado em R$ 2,169 mil. Além disso, foram muitas derrotas, como o trabalho intermitente, os acordos, perda do seguro desemprego, praticamente, já que os trabalhadores estão com uma dificuldade para ter esse benefício, em função do imposto sindical que foi cortado.

    Para tentar amenizar o grito dos descontentes, o presidente tentou criar uma agenda positiva do governo com a adoção de medidas que não precisem passar pelo Congresso. Uma delas foi o novo aumento do benefício do Bolsa Família, anunciado na noite de segunda-feira (30/04) e chegou a 5,67%.

    Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, há também estudos para a criação de um mecanismo que reduza o preço do gás de cozinha adquirido por famílias de baixa renda. A ideia é diminuir o preço do botijão de 13 kg com a incorporação desse subsídio no aumento do Bolsa Família.

    Nada disso, no entanto, atenua o difícil momento pelo qual passa o presidente. A opinião pública está atenta e sabe que, com essa agenda positiva, o governo está na realidade buscando tirar o foco das investigações do Ministério Público que podem resultar em uma terceira denúncia criminal contra o mandatário da Nação.

    A maior prova da impopularidade do presidente ficou clara ontem, quando ele resolveu visitar o local da tragédia do edifício “Wilton Paes de Almeida”, que desabou no Centro de São Paulo. Temer foi hostilizado, xingado e saiu de cena sob protestos e xingamentos.