Fonte: OpenWeather

    EDITORIAL


    Comércio para o Dia das Mães ainda enfrenta a recessão

    Há uma crise no meio do caminho da data festiva, que sempre rendeu bons lucros aos empresários do comércio e demonstração de amor filial, na forma de consumo, nos lares brasileiros.

    Para comprar um presente para sua mãe, é necessário dinheiro, e é isso que está faltando na vida dos brasileiros
    Para comprar um presente para sua mãe, é necessário dinheiro, e é isso que está faltando na vida dos brasileiros | Foto: Divulgação


    Às vésperas do Dia das Mães, só o amor filial não basta para mover a ternura de um filho para presentear a mulher mais importante de sua vida. Para isso é necessário dinheiro, e é justamente isso que está faltando na vida de milhões de brasileiros.

    Há uma crise no meio do caminho da data festiva, que sempre rendeu bons lucros aos empresários do comércio e demonstração de amor filial, na forma de consumo, nos lares brasileiros.

    Entre as atividades econômicas que compõem o setor produtivo, o comércio é aquele com maior dificuldade em se recuperar após a recessão – se é que se pode falar em pós-recessão. Ela por acaso acabou?

    Apesar do quadro desanimador – natural para três anos de crise –, os lojistas ainda não perderam as esperanças e esperam melhorar nas vendas para o Dia das Mães. A Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas estima um crescimento de 4% este ano.

    De acordo com uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), cerca de 17,05 bilhões de reais devem ser injetados nos setores do comércio e serviços.

    É verdade que a economia deu uma leve sacudida, mas sua recuperação ainda é muito lenta. Mesmo assim os empresários do setor acreditam. Acreditam e trabalham para que a tão esperada recuperação aconteça. Em 2015 e 2016, houve uma queda bastante significativa. Ano passado subiu um pouco, e agora eles esperam recuperar aquilo que perderam,

    Oxalá a esperança se reverta em empregos e rendas. Afinal, o Dia das Mães é a segunda data comemorativa mais importante para o varejo, no que diz respeito ao faturamento.

    Leia mais:

    Sem medo da verdade: Arthur segue sendo uma voz solitária

    Eleição na Federação Amazonense de Futebol: Nada novo, de novo

    Tragédia anunciada: milhares de prédios abandonados e invadidos