Fonte: OpenWeather

    EDITORIAL


    Amazonino distribui dinheiro em programas eleitoreiros no AM

    Para quem não tinha dinheiro em caixa, num Estado, que estava “quebrado”, agora, como um grande “salvador”, ele começa a distribuir dinheiro, às vésperas das eleições, e até já consegue anunciar asfalto para o interior e capital

    Amazonino saiu reverberando que o Estado estava quebrado e que não tinha dinheiro em caixa para mover uma palha
    Amazonino saiu reverberando que o Estado estava quebrado e que não tinha dinheiro em caixa para mover uma palha | Foto: Janailton Falcão


    Assim que assumiu o governo tampão do estado do Amazonas, Amazonino Mendes destratou uma centena de contratos, que já estavam encaminhados pelo governo interino.

    Os convênios e ordens de serviço estavam destinados para obras de asfaltamento de estradas, ramais, vicinais, até mesmo vias de umas dezenas de sedes de cidades do interior do Estado como Manacapuru, Itacoatiara, Iranduba, Urucurituba, Tonantins, Santo Antônio do Iça, Autazes, Careiro Castanho, Borba, Silves, entre muitas outras.

    Depois dos distratos, Amazonino saiu reverberando que o Estado estava quebrado e que não tinha dinheiro em caixa para mover uma palha. Ao mesmo tempo, a sua equipe saiu dando ordem de retirada às empresas que estavam com maquinários e pessoal nas cidades para asfaltar ramais, como o do São José e do Cinturão Verde, na BR-319, no Careiro Castanho, e estradas como a AM-070, que liga Manaus a Manacapuru.

    Conforme o site da Transparência, o governo tinha em caixa recursos da ordem de R$ 402 milhões para a duplicação da estrada Manuel Urbano, entre outras rodovias como a que liga Anori a Codajás, além das vias das sedes das cidades. Ainda com sol a pique do final do verão amazônico, de outubro a novembro, uma centena de soluções de infraestruturas deixaram de ser encaminhadas, porque vendeu o amor à causa pública.

    Agora, diante das condutas vendadas ao período eleitoral, Amazonino vem com as velhas promessas. Para quem não tinha dinheiro em caixa, num Estado, que estava “quebrado”, agora, como um grande “salvador”, ele começa a distribuir dinheiro com um programa claramente eleitoreiro, às vésperas das eleições, e até já consegue anunciar asfalto para o interior e para a capital.

    Mais do que um governador tampão, Amazonino consegue ser um ilusionista. Faz sumir um recurso aqui aos olhos mais desatentos e traz de volta como um golpe de mágica.


    Leia mais:

    Comércio para o Dia das Mães ainda enfrenta a recessão

    Sem medo da verdade: Arthur segue sendo uma voz solitária

    Eleição na Federação Amazonense de Futebol: Nada novo, de novo