Fonte: OpenWeather

    Editorial


    Crianças no Amazonas morrem pelo descaso do poder público

    Faltam cilindros de oxigênio para crianças, medicamentos básicos, aparelhos de tomografia, encubadoras, entre outros materiais para o atendimento do amazonense.

    Manaus - O caos na saúde pública do Estado está levando crianças a óbito no interior do Amazonas. A faixa etária infantil da nossa região continua morrendo por doenças de infecção e parasitárias, entre elas as diarreicas, geralmente por conta da falta de saneamento básico nos municípios e das águas poluídas que chegam diariamente nas residências de diversas famílias ribeirinhas. Também não podemos esquecer dos problemas respiratórios letais que acometem os meninos e meninas.

    De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no período de 1990 a 2010, os casos de mortalidade infantil chegaram à média de 24,3 crianças por mil nascidas vivas no Amazonas. A estatística é preocupante, pois o objetivo do Brasil a ser atingido pelo Ministério da Saúde (MS) é o falecimento de 15 crianças por mil nascidas vivas.

    Essa falta de compromisso do governo com a população ainda é muito grande e perdura há décadas. Nos principais serviços de urgência e emergência da capital amazonense isso é visível com filas, falta de leitos, aparelhos sofisticados quebrados e uma infinidade de remédios que não são disponibilizados aos cidadãos.

    Cidadão esses que não têm recursos financeiro para pagar um plano de saúde ou para se deslocar a um hospital particular. No interior do Amazonas, a situação fica muito mais complicada, pois a fiscalização em hospitais é nula. Em alguns casos, faltam cilindros de oxigênio para crianças, medicamentos básicos, aparelhos de tomografia, encubadoras, entre outros materiais para o atendimento do amazonense.

    Nessa situação sem controle e em ano de eleição, os políticos vão aparecer na sua casa e pedirão para segurar a criança desnutrida no colo para fazer fotos e vídeos. Fique de olho e vote com consciência, talvez esse problema amenize, diminua ou continue por mais décadas.

    Leia mais

    Bebê morre em Tefé e família denuncia hospital por falta de estrutura

    Transporte Público em Manaus: muito incentivo para pouco benefício

    Nunca brinque com os sentimentos de um povo...

    Notas da 'Contexto': Amazonas contra Temer