Fonte: OpenWeather

    Editorial


    Uma nova eleição à vista: nada será como antes

    Essa eleição será diferente, porque, com as redes sociais, o tempo de TV, o dinheiro do Fundo Partidário e as grandes coligações terão uma força menor.

    Essa eleição será diferente, porque a mudança se iniciou na ordem correta: de baixo para cima
    Essa eleição será diferente, porque a mudança se iniciou na ordem correta: de baixo para cima | Foto: Divulgação

    Não pelas mudanças eleitorais estabelecidas na minirreforma de 2015, não pelo fim da doação de empresas às campanhas, muito menos pelo início do fim dos chamados “puxadores” de votos, com o estabelecimento das cláusulas de barreira. A eleição deste ano será diferente, não porque a Justiça Eleitoral mudou alguns critérios, mas porque o Brasil vive um novo momento.

    O deputado federal Pauderney Avelino, em entrevista recente a este EM TEMPO, afirmou que esta será a eleição da Lava Jato. E ele tem razão. A operação comandada pelo juiz Sérgio Moro desnudou agentes públicos do Oiapoque ao Chuí, e revelou para o Brasil e para o mundo as práticas criminosas comumente praticadas, dia após dia, por burocratas e empresários.

    Muito mais do que colocar os, até então, intocáveis políticos na cadeia e recuperar parte do dinheiro assaltado da Petrobras, a Lava Jato fez brotar no coração dos brasileiros uma ojeriza à corrupção, à imoralidade, ao descaso do Poder Público.

    Essa eleição será diferente, porque a mudança se iniciou na ordem correta: de baixo para cima.

    Essa eleição será diferente, porque políticos criminosos não poderão participar, visto que são impedidos pela Lei da Ficha Limpa.

    Essa eleição será diferente, porque, com as redes sociais, o tempo de TV, o dinheiro do Fundo Partidário e as grandes coligações terão uma força menor.

    Essa eleição será diferente pelo simples fato de que o Brasil está diferente e quer mudança. Se mudarem os nomes, de fato, culminar em mudanças, na prática ninguém pode prever, mas uma coisa é certa: essa tem tudo para ser a eleição da mudança.

    Leia mais: 

    Candidatos já têm planos para o Amazonas

    Caminhada na Zona Norte abre campanha de Omar e Bisneto

    TRE-MG recebe pedido de impugnação de Dilma ao Senado