Fonte: OpenWeather

    País


    Conscientização marca a Semana Nacional do Trânsito

    O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) lança campanha de alerta para a Semana Nacional de Trânsito, celebrada de 18 a 25 de setembro. O objetivo é valorizar a vida, ampliar e solidificar a cultura de segurança no trânsito brasileiro. Para isso, o Denatran resolveu enfatizar o tema: “Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito – 2011/2020 - Cidade para as pessoas: Proteção e Prioridade ao Pedestre”, lançado pela ONU em 2010.

    A ideia é lembrar que 1,3 milhão de pessoas morreram em acidentes de trânsito em 2009 em 178 países, dentre os quais o Brasil, de acordo com estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS), sendo que esse número pode subir para 1,9 milhão em 2020, se as pessoas não mudarem a postura no trânsito. O Denatran pretende utilizar a Semana Nacional de Trânsito para criar e fortificar valores, posturas e atitudes conscientes em todas as camadas da sociedade, a fim de garantir mudanças que propiciem o direito de ir e vir de todos os cidadãos.

    Uma das maiores preocupações das autoridades de trânsito está relacionada à proteção dos mais vulneráveis, como pedestres, ciclistas e motociclistas. Em virtude de frotas cada vez maiores, a disputa por espaços trafegáveis nas pequenas e grandes cidades do País torna-se cada vez mais acirrada, resultando nas lamentáveis estatísticas que fazem do Brasil um dos campeões mundiais em acidentes fatais no trânsito.

    Motociclistas devem redobrar os cuidados

    As motocicletas vêm ganhando cada vez mais adeptos entre os veículos motorizados por ser uma alternativa mais ágil na locomoção. No entanto, o número de acidentes cresce paralelamente ao aumento da frota de motocicletas.

    Enquanto a Campanha Nacional de Trânsito foca na manutenção do meio ambiente urbano, repensando as melhores maneiras de propiciar um tráfego seguro a todos, cabe aos motociclistas tomarem medidas conscientes na prevenção de acidentes. Além da prudência na direção, que implica no respeito às normas de trânsito, todo piloto também deve zelar pela própria segurança.

    A proteção com equipamentos de segurança de qualidade, como capacetes com selos de garantia, é imprescindível para evitar lesões e traumatismos mais graves na região craniana, assim como o uso de luvas e jaquetas apropriadas para a pilotagem, diminuem consideravelmente a chance de escoriações nas mãos, braços e tórax. Outro item de baixo custo e que pode livrar os motociclistas de acidentes graves é a antena de proteção, conhecida como antena corta-pipas, que evita ferimentos no pescoço e na face. Com todos fazendo a sua parte e pilotando com cautela, aumentam as chances de diminuir o número de mortes no trânsito.

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília