Fonte: OpenWeather

    País


    Investigadores de chacina revistam armários da guarda de Barueri

    Policiais que investigam as mortes em série na Grande São Paulo revistaram os armários de agentes da Guarda Civil Municipal de Barueri (GCM), na tarde desta quarta-feira (19).

    A GCM não informou se algum material foi apreendido pelos investigadores do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

    Ao menos 18 pessoas morreram e seis ficaram feridas nas cidades de Osasco e Barueri, em um intervalo de aproximadamente três horas. Os crimes ocorreram no último dia 13, dentro de um raio de 10 km.

    O número de mortos e feridos foi confirmado pelo secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Inicialmente, a PM havia informado um total de 20 mortes, sendo corrigida pelo secretário em seguida. Posteriormente, também foi descartada relação entre uma morte de Itapevi com os demais crimes.

    Segundo o secretário, foram 15 mortos em Osasco e três em Barueri. "Não descartamos nenhuma hipótese", disse o secretário, que indicou que uma das linhas de investigação é a participação de policiais, após recentes mortes de um PM e de um guarda civil metropolitano na região dos assassinatos.

    Dos 18 homens assassinados, apenas seis tinham antecedentes criminais.

    O secretário está acompanhando diretamente o caso. Segundo ele, a atuação de policiais é apenas uma das linhas de investigação.

    Cápsulas de três diferentes calibres de armas foram encontradas próximas aos corpos das vítimas: 9 mm (de uso das Forças Armadas) e 38 e 380, de uso de guardas civis metropolitanos.

    As ações foram semelhantes. Homens encapuzados estacionaram um carro, desembarcaram e dispararam vários tiros contra as vítimas. Em alguns locais dos crimes, testemunhas disseram que os assassinos perguntaram por antecedentes criminais, o que definia vida ou morte das pessoas.

    Segundo a Secretaria da Segurança Pública, após apurar as características dos carros usados pelos criminosos, ao menos dois grupos participaram dos assassinatos – homens em uma moto e em um Peugeot prata em Osasco e em um Renault Sandero prata em Barueri.

    O governo ainda não afirma se as 15 mortes em Osasco têm relação com as três de Barueri. Os horários dos crimes e o modus operandi indicam atuação em conjunto.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília

    3. MEC prorroga para novembro prazo de aditamento do Fies

    4. Campanha Natal sem Fome é retomada depois de 10 anos

    5. Brasil tem 30 novos santos: papa canoniza mártires de Cunhaú e Uruaçu