Fonte: OpenWeather

    País


    Transpetro confirma cancelamento de contratos para construção de navios

    Em seu balanço do ano passado, a subsidiária da Petrobras informa que já gastou R$ 5,5 bilhões com a compra dos navios - foto: reprodução
    Em seu balanço do ano passado, a subsidiária da Petrobras informa que já gastou R$ 5,5 bilhões com a compra dos navios - foto: reprodução

    A Transpetro, subsidiária da Petrobras para a área de transportes, confirmou nesta terça-feira (28) o cancelamento de contratos assinados com o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) para a construção de sete navios.

    Conforme a Folha de S.Paulo antecipou, a empresa estava finalizando a renegociação dos contratos, que fazem parte do programa de renovação da frota coordenado pelo ex-presidente Sergio Machado, delator da Lava Jato.

    Em nota oficial divulgada nesta terça, a Transpetro diz que foram cancelados os contratos para a construção de sete navios de posicionamento dinâmico, que seriam utilizados para o escoamento de petróleo das plataformas em alto-mar.

    Foram mantidos os contratos para a construção de outras oito embarcações. Três delas já estão com obras iniciadas e outras cinco começarão em breve, informou a empresa. O atual cronograma prevê a entrega das embarcações até o fim de 2019.

    O Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) da companhia contratou a construção de 47 embarcações. Deste total, 14 foram já entregues e 13 tiveram os contratos cancelados por dificuldades durante as obras. Com o novo cancelamento, o número total de embarcações do programa cai para 27.

    Em resposta à Folha de S.Paulo na semana passada, a empresa diz que estuda alternativas para retomar a construção de três navios que estão inacabados no cais do estaleiro Mauá, em Niterói (RJ). Os contratos foram cancelados depois que o estaleiro fechou as portas alegando falta de dinheiro para concluir as obras.

    No início de julho, a suspensão das obras completa um ano.

    O Promef contratou ainda 20 comboios hidroviários para o transporte de etanol com o Estaleiro Rio Tietê, em Araçatuba. Três foram entregues e o quarto está sendo finalizado. Os 16 contratos restantes estão suspensos.

    Em seu balanço do ano passado, a subsidiária da Petrobras informa que já gastou R$ 5,5 bilhões com a compra dos navios.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília

    3. MEC prorroga para novembro prazo de aditamento do Fies

    4. Campanha Natal sem Fome é retomada depois de 10 anos

    5. Brasil tem 30 novos santos: papa canoniza mártires de Cunhaú e Uruaçu