Fonte: OpenWeather

    País


    Família de soldado baleado no Rio não permite que aparelhos sejam desligados

    A família de Hélio Vieira Andrade, 35, soldado da Força Nacional que cuidava da segurança da Olimpíada e foi baleado na cabeça quarta-feira (10), não permitiu o desligamento dos aparelhos no Hospital Salgado Filho, no Rio, para onde foi socorrido.

    O presidente Michel Temer e a governadora de Roraima, Suely Campos (PP), já declararam luto oficial pela morte de Andrade, mas o pai do soldado, Aquino de Souza Andrade, 62, disse à reportagem na noite desta sexta-feira (12) que a família decidiu não permitir o desligamento dos aparelhos.

    "Disseram que ele teve morte cerebral, mas não deixamos desligar, pois Deus é poderoso e temos fé. O resto [do corpo] funciona, queremos tentar a avaliação de um outro médico, para confirmar isso [morte] ou termos outra possibilidade. Nunca vamos desistir dele", disse o pai, que está em Boa Vista (RR), onde a família reside.

    A mãe do soldado, Martinha Vieira Andrade, está no Rio. A reportagem tentou falar com ela, mas um membro da Força Nacional atendeu seu celular e apenas confirmou que os aparelhos não foram desligados e que todos estão orando.

    "Não quero pensar em enterro", disse o pai do soldado.

    Apesar disso, o governo de Roraima já está preparado para receber o corpo do soldado, que deve ser levado por um avião da Polícia Federal até Boa Vista, onde está previsto ser enterrado com honras militares.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília

    3. MEC prorroga para novembro prazo de aditamento do Fies

    4. Campanha Natal sem Fome é retomada depois de 10 anos

    5. Brasil tem 30 novos santos: papa canoniza mártires de Cunhaú e Uruaçu