Fonte: OpenWeather

    País


    Vazamento de amônia em indústria deixa 1 morto e 30 feridos em Barretos

    O frigorífico, que fica na zona rural da cidade, foi evacuado após o acidente - foto: divulgação
    O frigorífico, que fica na zona rural da cidade, foi evacuado após o acidente - foto: divulgação

    Uma pessoa morreu e 30 ficaram feridas após um vazamento de amônia no frigorífico Minerva, em Barretos (a 423 quilômetros de São Paulo), na manhã desta quarta-feira (31).

    O frigorífico, que fica na zona rural da cidade, foi evacuado após o acidente. As causas ainda são desconhecidas, mas uma das suspeitas é que a amônia, que é tóxica, tenha vazado após uma explosão numa câmara frigorífica.
    Os feridos, com sintomas como falta de ar, vômito e dor de cabeça, foram encaminhados à Santa Casa de Barretos e à UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) da cidade.

    De acordo com a Santa Casa, foram atendidas 21 vítimas na unidade hospitalar, das quais quatro já receberam alta. As demais encontram-se internadas em observação, com quadro estável e sem risco de morte. O nome do funcionário que morreu não foi divulgado.
    Ainda segundo o hospital, as famílias dos empregados envolvidos com o acidente estão sendo recebidas numa sala separada, com atendimento de psicólogos e assistentes sociais.

    Na UPA, de acordo com a prefeitura, foram atendidas outras nove pessoas, com quadro de comprometimento respiratório.

    Não é o primeiro episódio envolvendo vazamento de amônia e o frigorífico. Em março de 2013, o Minerva foi condenado pela Justiça do Trabalho de Araraquara a pagar R$ 200 mil por danos morais coletivos devido a irregularidades após vazamento de amônia ocorrido no ano anterior. A empresa alegou à época que ninguém foi intoxicado.
    O inquérito do Ministério Público do Trabalho concluiu que o vazamento foi causado por uma falha mecânica do resfriamento de água.

    A empresa, que também respondia a uma outra ação civil pública em Araraquara por não realizar o controle de vazamentos de amônia, firmou acordo judicial com o MPT em 2014, no valor de R$ 750 mil, para extinguir as ações.
    Nas ações protocoladas, a Promotoria fez referência a casos de vazamentos que resultaram em acidentes com graves consequências à saúde dos trabalhadores em Goiás, Minas Gerais e São Paulo.

    Contido
    A Minerva Foods informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o vazamento de amônia em Barretos já foi contido e que está "fornecendo todo o apoio necessário aos seus colaboradores".

    Ainda de acordo com a assessoria, não há mais detalhes sobre o incidente, a empresa prima pelo cumprimento das normas de segurança e o atendimento às pessoas está sendo priorizado.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília

    3. MEC prorroga para novembro prazo de aditamento do Fies