Fonte: OpenWeather

    País


    Justiça nega recurso e obriga Google a remover imagens de Cristiano Araújo

             A ação foi movida pelo pai do cantor, João Reis de Araújo, Em outubro de 2015 - Foto: reprodução

    A Justiça de Goiás manteve decisão que obriga o Google a retirar dos resultados de suas buscas imagens e vídeos da necrópsia do corpo do cantor Cristiano Araújo, morto em acidente de carro em 2015.

    A ação foi movida pelo pai do cantor, João Reis de Araújo, Em outubro de 2015. Naquele mesmo ano, a Justiça pediu a retirada das páginas apontadas por ele dos resultados de buscas.

    O recurso do Google baseava-se no argumento de que a companhia não teria capacidade técnica de controlar todo o conteúdo postado a respeito do cantor por terceiros.

    Leia também: Cristiano Araújo pode ter CD de musicas inéditas e virar filme

    Na decisão, o juiz substituto Carlos Roberto Fávaro, relator da ação, levou em conta o fato de que a família do cantor informou quais eram os links e "hashs" (espécie de impressão digital dos vídeos) que deveriam ser removidos. A Folha de S.Paulo ainda não obteve uma resposta do Google até a publicação desta reportagem.

    FACEBOOK

    Também nesta semana, o Tribunal de Justiça de Goiás derrubou uma liminar (decisão provisória) que obrigava o Facebook a tirar do ar vídeos da necropsia do cantor.

    A decisão considerou que o monitoramento prévio de conteúdo postado em redes sociais equivale a censura, proibida pela Constituição brasileira.

    A defesa da família do cantor afirmou, a respeito da decisão, que ela foi baseada em um erro técnico e seria possível ao Facebook monitorar a postagens dos vídeos sempre que ela se repetisse sem recorrer a censura prévia.

    Folhapress

    Leia mais:

    Projeção em 3D vai ‘reviver’ Cristiano Araújo em missa um ano após acidente

    Zeca Camargo irrita fãs com crítica à comoção pela morte de Cristiano Araújo

    Gafe: Fátima Bernardes chama cantor sertanejo morto em acidente de Cristiano Ronaldo

    Mais lidas

    1. MEC lança mestrado profissional para professores

    2. MST ocupa sede do Ministério do Planejamento em Brasília

    3. MEC prorroga para novembro prazo de aditamento do Fies