Prevenção


Após seis meses de desocupação, segurança no Monte Horebe é reforçada

O monitoramento da área busca prevenir que uma nova invasão se instale na área

 

Mais de 2 mil famílias desapropriadas do local, hoje recebem auxilio moradia
Mais de 2 mil famílias desapropriadas do local, hoje recebem auxilio moradia | Foto: Reprodução

Manaus –  Afim de prevenir um novo foco de invasão no Monte Horebe, localizada na Zona Norte de Manaus, policiais militares reforçaram o monitoramento de segurança na área na última sexta-feira (18). A antiga invasão foi desocupada a partir da ação do Governo do Estado para combater o crime organizado na região. Aproximadamente, 2 mil famílias deixaram o local.

O Monte Horebe surgiu da reintegração da ocupação irregular Cidade das Luzes, em 2015. Além do espaço desmatar parte na Reserva Florestal Adolpho Ducke provocando fatores socioambientais graves, devido a construção de barracos.

A localidade também se tornou um dos mais perigosos pontos da cidade devido ao tráfico de drogas na região, motivo pelo qual as ações de desocupação foram iniciadas no dia 2 de março deste ano.

Após a resistência popular e 12 dias de execução da reintegração de posse no Monte Horebe, 2.204 famílias foram retiradas do local, e mais de dois mil barracos foram derrubados.

As famílias passaram a receber auxílio-moradia e área entrou no planejamento de revitalização onde será construído um complexo de segurança pública, ações de recuperação ambiental e a implantação de um Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti). O projeto busca beneficiar diretamente os moradores do conjunto habitacional Viver Melhor, situado no bairro Santa Etelvina, cujas duas etapas abrigam mais de sete mil moradores.

Crimes no local

Tribunais do crime, tráfico de entorpecentes e cemitérios improvisados faziam parte das constantes noticias envolvendo o tráfico de drogas na região.

Em outubro do ano passado, um corpo foi encontrado enterrado em uma cova dentro da invasão. Ele estava enterrado há dois metros de profundidade e a cova estava coberta por água. Na época do encontro do cadáver, havia a suspeita de mais outros dois corpos estarem enterrados na localidade. 

Relembre o caso:

Corpo é encontrado em cova no Monte Horebe

No mês de setembro, um possível local de tribunal do crime foi encontrado. O espaço era usado para torturar e sentenciar possíveis traidores. Próximo, havia a suspeita de um cemitério clandestino, onde integrantes da facção enterravam os desafetos. 

Corpos eram encontrados no local
Corpos eram encontrados no local | Foto: Reprodução

Prevenção

Após ter sido reintegrada, a invasão permanece sob a vigilância da Polícia Militar do Amazonas. O objetivo é garantir a segurança dos moradores do conjunto Viver Melhor e evitar que uma nova invasão se instale na área já reintegrada.

Monte Horebe, que antes era local utilizado por traficantes com a finalidade de guardar armamentos e fazer o armazenamento de drogas, é hoje um local de paz e tranquilidade. Apesar da calmaria no local, policiais são orientados a permanecer com o policiamento e sempre ficar atentos a possíveis movimentações de novos invasores.

Durante o processo operacional, a polícia prendeu dois líderes de facções criminosas que incitavam os moradores da comunidade a reagirem contra a ação policial.  

Leia Mais: 

Uso de spray de pimenta e violência são relatados por moradores

Moradores do Monte Horebe fazem manifestação contra desocupação