Fonte: OpenWeather

    Denúncia


    Vídeo mostra advogada sendo agredida por policial em delegacia de Tefé

    Enquanto acompanhava um cliente, a advogada foi retirada a força pelo investigador da Polícia Civil. Nas imagens é possível ver ela sendo expulsa do local após ser empurrada

    A profissional estava acompanhando um cliente quando foi surpreendida pela ação do policial Mais notícias 24h por dia em: http://www.emtempo.com.br | Autor: Em Tempo

    Manaus - A advogada Jessika Tais do Nascimento Martins foi expulsa e agredida por um investigador da Polícia Civil, de dentro da Delegacia Interativa de Polícia, localizada no município de Tefé (distante 520 quilômetros de Manaus). A profissional estava acompanhando um cliente quando foi surpreendida pela ação do policial, que usou de violência e a colocou para fora da unidade policial a base de empurrões.

    "Estava acompanhando um cliente, quando me aproximei de um carro e ele gritou comigo dizendo para eu entrar na delegacia e aguardar lá. Quando entrei pra conversar com meu cliente, ele gritou de novo e disse 'a senhora vai aguardar lá fora porque estou fazendo minhas diligências'. Na hora eu respondi que iria acompanhar o meu cliente e não sairia da sala", disse a advogada.

    Leia também: Denúncia: perito do AM usa viatura oficial para benefício próprio

    Ainda de acordo com Jessika, depois de falar que permaneceria no local, o policial começou a proferir xingamentos e depois a agrediu.

    "Ele disse que era para eu procurar as minhas prerrogativas na p*** q** p**** e me pegou pelo braço. Ele começou a torcê-lo e saiu me empurrando para fora da delegacia. No caminho, eu quase bati no vidro da entrada. O investigador ainda disse que meu lugar não era ali e sim no xadrez, se referindo a cela da delegacia", concluiu a profissional agredida. A agressão aconteceu no último dia 19 de maio, mas o caso começou a ser divulgado nos últimos dias após o registro de um Boletim de Ocorrência. 

    Boletim de Ocorrência foi registrado no dia 21 de maio. Dois dias após a agressão
    Boletim de Ocorrência foi registrado no dia 21 de maio. Dois dias após a agressão | Foto: Reprodução


    OAB

    A Ordem dos Advogados do Amazonas, subseção de Tefé, em nota, repudiou a atitude do investigador de polícia, que agrediu fisicamente e moralmente a advogada ao impedir de realizar o trabalho no uso das prerrogativas concedidas pela constituição. Ainda de acordo com a nota, "é inaceitável a a violência moral e física na qual a profissional foi submetida". A OAB está acompanhando o caso de perto.

    Polícia Civil

    De acordo com nota enviada pela assessoria da Polícia Civil, o delegado Mateus Moreira, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), um delegado foi designado - desde segunda-feira (28) - para apurar o caso na Delegacia Interativa de Polícia (DIP).

    Edição: Bruna Souza

    Leia mais:

    Em Manaus, adolescente diz ter sido forçada a interromper gravidez

    Bebê de 7 meses é estuprada dentro de motel na Zona Leste

    Um dos casais envolvidos em morte de amante é preso em Manaus