Fonte: OpenWeather

    Assalto


    Estudante escapa de latrocínio em parada de ônibus de Manaus

    A jovem foi abordada em uma parada de ônibus por um assaltante em uma motocicleta. Há dez dias um servidor do INPA foi assassinado em um ponto de ônibus na avenida André Araújo

    A jovem de 18 anos foi ameaçada por um assaltante em um ponto de ônibus, na avenida Professor Nilton Lins | Foto: Divulgação

    Manaus - Após dez dias da morte de um servidor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), durante um assalto em uma parada de ônibus na avenida André Araújo, Zona Centro-Sul de Manaus, a polícia voltou a registrar mais um assalto com as mesmas características.

    Desta vez, a vítima, uma jovem de 18 anos, foi ameaçada por um assaltante, nessa quinta-feira (9), em um ponto de ônibus, na avenida Professor Nilton Lins, bairro Flores, também na Zona Centro-Sul da capital.

    Na ocasião, o homem, que estava em uma motocicleta, abordou a vítima e roubou celular, documentos e dinheiro. Ela relatou aos policiais que o assaltante insinuou estar armado e fugiu antes que pudesse anotar a placa da motocicleta. 

    A jovem registrou o roubo no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Assim como o latrocínio (roubo seguido de morte) de Jabson Franco da Costa, de 34 anos, a Polícia Civil do Amazonas informou que investiga o caso e tenta localizar e prender o assaltante. 

    Leia também: Bandidos com máscaras assaltam escola na rodovia Manaus-Boa Vista

    Servidor do Inpa assassinado 

    Jabson Costa foi baleado com um tiro no peito, após levantar as mãos e pedir para não ter o celular levado, por uma dupla em uma motocicleta, na noite do dia 31 de julho. Antes do crime, a vítima chegou a comentar com o amigo e também pesquisador Odem Rocha Lopes, de 24 anos, que estava com medo de ser assaltado.

    O servidor estava em uma parada de ônibus da avenida André Araújo
    O servidor estava em uma parada de ônibus da avenida André Araújo | Foto: Divulgação

    Na ocasião, ele relatou que havia escapado, há alguns meses, de outro assalto, na mesma parada onde acabou assassinado. A revelação veio à tona no dia do velório da vítima, ocorrido no dia 1º de agosto deste ano, na funerária Rei Davi, na rua Francisco Queiroz, bairro Cidade Nova, Zona Norte.

    Odem foi a única pessoa mais próxima de Jabson, que quis se pronunciar durante o velório do colaborador Inpa. 

    Investigações

    No dia seguinte após o crime, o secretário de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM), coronel Anézio Paiva, informou à imprensa que a Polícia Civil do Amazonas trabalhava para identificar e prender os autores do latrocínio

    Na ocasião, ele relatou que imagens do circuito de vigilância de imóveis próximo ao local e do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) ajudariam na identificação dos autores do latrocínio. 

    “Um delegado da Força-Tarefa está no caso para colher as informações e imagens das câmeras de segurança do Ciops e de estabelecimentos particulares”, informou o coronel. 

    Apesar do “empenho” ressaltado pelo coronel para elucidar o crime, a reportagem procurou a PC-AM nesta sexta (10). Por meio da assessoria, a instituição se limitou em apenas dizer que o latrocínio é investigado pela “Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd)”. Até o momento ninguém foi identificado ou preso pela autoria do crime. 

    Leia mais:

    Após mês violento, SSP mascara dados e apresenta redução de homicídios

    Motorista é morto ao ajudar casal em assalto

    Receba notícias do Em Tempo via WhatsApp. Saiba como participar!