Fonte: OpenWeather

    Manaus


    Vídeo: Garota de 13 anos sobrevive após ser alvejada com 6 tiros

    A garota foi jogada de um carro no bairro São Raimundo. Ela foi socorrida e está em estado grave no 28 de Agosto

     

    Local onde a garota foi jogada do carro
    Local onde a garota foi jogada do carro | Foto: Kennedson Paz

    Manaus - Uma adolescente de 13 anos foi alvejada com seis tiros, sendo um deles na cabeça. Ela foi jogada de um carro na rua Rio Branco, no bairro São Raimundo, na Zona Oeste de Manaus. A vítima foi socorrida e encaminhada ao Hospital e Pronto-socorro (HPS) 28 de Agosto, onde está  internada em estado grave. O fato aconteceu na madrugada desta terça-feira (19).

    Testemunhas relataram à polícia que um carro branco, de placa não identificada, chegou ao local e, depois de alguns minutos, a garota foi jogada do veículo toda ensanguentada.  Os criminosos fugiram em seguida.

    A menina foi jogada de um carro
    A menina foi jogada de um carro | Foto: Divulgação

    Moradores acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Há indícios de que a adolescente tenha envolvimento com o tráfico de drogas. Entretanto, a informação ainda não foi confirmada. A Polícia Civil deve investigar o crime.

    A reportagem foi ao local, mas os moradores da área não quiseram falar sobre o assunto. A equipe não conseguiu encontrar a família da adolescente.

    A vítima foi levada para o 28 de Agosto
    A vítima foi levada para o 28 de Agosto | Foto: Arquivo Em Tempo

    O Portal EM TEMPO entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) para saber sobre o atual estado de saúde da vítima, mas o órgão informou que, por se tratar de uma menor de idade, a informação só poderá ser divulgada com a permissão da família. 

    Em entrevista à imprensa, durante a ocorrência do artefato explosivo encontrado no estacionamento do 28 de Agosto, o secretário de Segurança Pública (SSP), Louismar Bonates, afirmou que todas as unidades hospitalares da cidade estão com reforço policial. 

    "Estamos com policiamento reforçado em todos os hospitais. E isso não é só por conta da chacina, mas porque virou um novo padrão nosso para dar tranquilidade aos funcionários, que estão em lugares onde as vítimas sobrevivem e os suspeitos podem aparecer e terminar o serviço", disse o secretário.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo: 

    Assista à reportagem | Autor: Bárbara Mitoso/TV Em Tempo