Fonte: OpenWeather

    Tráfico


    Operação prende desarticula organização criminosa no Cacau Pirêra

    A operação desarticulou grupo criminoso responsável pelo tráfico de drogas, homicídios, além de compra de armas e munições em Cacau Pirêra, distrito de Iranduba, no Amazonas

    A operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (12) e resultou na prisão de 15 pessoas
    A operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (12) e resultou na prisão de 15 pessoas | Foto: Suyanne Lima

    Iranduba - Durante a operação “Vassoura de Bruxa 2”, deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas, no Distrito de Cacau Pirêra, em Iranduba (distante 27 quilômetros em linha reta de Manaus, na manhã desta quinta-feira (12) ) 15 pessoas foram presas, suspeitas de envolvimento em tráfico de drogas. Desde às 6h, os policiais cumpriram 12 mandados de prisão preventiva. Três pessoas foram presas em flagrante.

    De acordo com a polícia, durante a ação policial foram presos: Albertina Duque Coelho Belmiro, 54; Camila Araújo Rodrigues, 24; Djair Miranda Vidal, 23; Eliel da Cruz Reis, 34; Francisco Keven dos Santos Pereira, 19; Jonathan Costa Guimarães; José Edvandro dos Santos Pereira, 22; João Paulo Sales de Azevedo; Luana da Silva Felix; Mailson Soares Jardim, 30; Neldison Soares Jardim, 25; Rafael Junio Campos Santos, 22; Priscila Félix da Cunha; Verônica Nilce Bastos Freire, 52, e Walace Félix da Cunha, 40.

    De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates, o objetivo da operação foi desarticular a organização criminosa que atua no tráfico de drogas no Distrito de Cacau Pirêra. “Conseguimos prender Walace, o ‘Nego Wala’, que é um dos comandantes do tráfico de drogas na região. Ele era o principal alvo da operação”, disse.

    O delegado Antonio Chicre Neto, titular do Posto de Policiamento Integrado (PPI), que coordenou a operação explicou que as investigações duraram cerca de oito meses. A desarticulação do grupo aconteceu após a interceptação de um dos integrantes em outra ação policial e a quebra de sigilo de um grupo mantido pelos criminosos por meio WhatsApp. Nas mensagens, foi possível identificar os integrantes da organização responsáveis por tráfico de drogas, homicídios, além de compra de armas e munições naquele município.

    Ao longo da operação, os policiais civis apreenderam com “Nego Wala”, uma arma de fogo calibre 38 e três munições do mesmo calibre.  Camila e Neldison foram encontrados com dinheiro e drogas. Já Mailson estava com quatro porções de maconha, cinco munições, um aparelho celular e a quantia de R$ 406, proveniente do tráfico de drogas.

    Procedimentos

    Albertina, Djair, Eliel, Francisco, Jonathan, José Edvandro, João Paulo, Neldison, Rafael, Priscila, Verônica e Walace foram indiciados por tráfico de drogas. Walace irá responder, ainda, por porte de arma de fogo de uso restrito.

    Camila e Mailson foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e Mailson também irá responder também por porte ilegal de munições. Todos os presos ficarão à disposição da Justiça. 

    www.emtempo.com.br

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista à reportagem: | Autor: Samara Maciel/ TV Em Tempo