Fonte: OpenWeather

    morte


    MP concede prisão de Givancir e população cerca delegacia em Iranduba

    Os familiares das vitimas e manifestantes permanecem em frente ao prédio da unidade policial

    Givancir de Oliveira vai responder por homicídio e tentativa de homicídio
    Givancir de Oliveira vai responder por homicídio e tentativa de homicídio | Foto: Arquivo EM TEMPO


    Manaus - Na tarde desta segunda-feira (2), o Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) acatou o pedido de prisão temporária representado pela 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Iranduba, contra o presidente do Sindicato dos Rodoviários Givancir de Oliveira por homicídio e tentativa de homicídio.

    Conforme o MP-AM, o parecer favorável foi assinado pelo promotor de Justiça Leonardo Abnader. Givancir é suspeito pela autoria da morte de Bruno de Freitas Guimarães e da tentativa de homicídio da prima dele identificada como “Tchelsy”, ocorrido na tarde do último sábado (29), naquele município.

    Segundo informações, Givancir se apresentou nesta tarde e entrou pelos fundos da delegacia para prestar depoimento ao delegado Geraldo Eloi, titular da 31ª DIP.

    Givancir é apontado pela família das vítimas como autor do crime. Ele teria atraído “Tchelsy” para ir até a casa dele receber um valor em dinheiro referente a serviços prestados e, após ele e o primo Bruno saírem do local, eles teriam sido abordados por Givancir e funcionários que efetuaram os tiros.

    Os familiares das vitimas e manifestantes permanecem em frente ao prédio da unidade policial e reforços foram solicitados para dar apoio ao lugar para que não haja invasão. Não há informações se por questões de segurança Givancir será transferido para uma unidade policial na capital.