Fonte: OpenWeather

    Notas da Contexto


    Eleições 2018: David, Vanessa e Praciano alinham no mesmo prumo

    A senadora Vanessa Grazziotin (PC do B) desembarcou em Manaus com a disposição de continuar as negociações em torno da sua candidatura à reeleição numa coligação com PT e PSB.

    | Foto: Malika

    A senadora Vanessa Grazziotin (PC do B) desembarcou em Manaus com a disposição de continuar as negociações em torno da sua candidatura à reeleição numa coligação com PT e PSB. Da tribuna do Senado, a parlamentar anunciou que teve “uma excelente reunião” com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira.

    — Então, eu agradeço ao presidente do PSB. Estou indo a Manaus agora, e continuaremos as tratativas lá” –, avisou, de Brasília, a senadora comunista.

    Dobradinha vermelha

    Não precisa ser o maior marqueteiro do país para perceber que a coligação de David só tem a ganhar com o reforço de Vanessa Grazziotin e Francisco Praciano como vice.

    Militância na rua

    Seria a forma de trazer o voto da esquerda e de sua militância que, querendo ou não, está mais viva do que nunca.

    Sarafa não é bobo

    Aliás, no grupo de David, parece que o único que não subestima o poder de fogo de Vanessa é o deputado Serafim Corrêa, presidente vitalício do PSB.

    Sarafa já disse a esta coluna que está ficando rouco tentando explicar isso nas reuniões internas do PSB.

    Na cabeça

    Além disso, a maior prova de que a candidatura de Vanessa só tem a somar numa coligação é a sua posição entre as primeiras colocações nas pesquisas eleitorais.

    Aviso aos navegantes

    Na entrevista bombástica da noite de quarta-feira (8), que foi manchete deste EM TEMPO ontem – onde detonou o governador Amazonino Mendes (PDT) –, o prefeito Arthur Virgílio mandou um recado ao seu vice-prefeito dissidente, Marcos Rotta (sem partido), que ele convencionou chamar de “avisos aos navegantes”.

    Aviso aos navegantes 2

    Avisou que o que o governador quer é simplesmente se manter no poder para beneficiar seu próprio grupo.

    — Grupo do qual o vice-prefeito (Rotta) não faz parte. E lá, ele vai ter que bater continência do Agapito até o Otávio Júnior.

    Aviso aos navegantes 3

    No meio da entrevista, Virgílio mandou mais um “aviso aos navegantes”.

    — Se aproximar, em uma época dessas, de uma pessoa que tem o passado que tem o governador, sinceramente, coloca qualquer cristão desse sob suspeição -

    Arthur disse, ainda, que, se Rotta tomou esse caminho, “não foi por falta de aviso; não foi por falta de amizade ou de disposição de lutar”.

    Palavras ao vento

    Em política, infelizmente, aquilo que se fala nem sempre se escreve.

    Há menos de um mês, o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, fez um discurso de honra ao prefeito Arthur Neto, no dia em que ele completava 40 anos de vida pública.

    Ao mestre com carinho

    Na ocasião, Rotta afirmou que aprendia diariamente com a capacidade e experiência de Arthur.

    E que era uma honra dividir a responsabilidade de administrar a capital do Amazonas com alguém tão respeitado na política.

    Bolhas de sabão

    Porém, palavras o vento leva.

    Foram bonitas, é verdade, mas se desfizeram como bolha de sabão.

    Rotta deixou o PSDB para se aliar ao governador Amazonino Mendes (PDT).

    Bateu continência

    Por falar em Amazonino, ele também teceu elogios a Arthur no mesmo evento.

    — Vim aqui bater continência. Vim homenagear não o político, mas o homem Arthur – disse Mazoca, abraçando o prefeito.

    Tapas e beijos

    É claro que, na época, especulava-se que o governador desejava o apoio do prefeito para sua reeleição.

    Como Arthur decidiu caminhar com Omar Aziz (PSD), o Negão passou a cutucar o prefeito.

    Luta pela Inclusão

    Começou a tramitar na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) o Projeto de Lei nº 136/2018, de autoria do deputado Carlos Alberto (PRB).

    Carrinho de compra

    Se aprovada, a Lei vai obrigar os supermercados de grande porte no estado do Amazonas a disponibilizar 5% da totalidade dos seus carrinhos de compras adaptados à pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida.

    Opção sexual

    Projeto de Lei do deputado estadual Abdala Fraxe (Podemos) quer proibir que constem em questionários de admissão de emprego no Amazonas perguntas acerca da crença e opção sexual dos candidatos.

    Risco de homofobia

    A justificativa é de que o dispositivo combaterá atos discriminatórios.

    Mas, no fundo, pode ser uma faca de dois gumes, pois o empregador, dependendo da opção sexual, pode querer barrar homossexuais, esquecendo a competência profissional e o caráter do candidato ao emprego.]

    Você gosta das notas do contexto? Então leia mais:

    TCE dá ultimato à Seduc sobre licitação irregular

    A dança das alianças dá rumo as eleições no Amazonas

    Rebecca Garcia e a síndrome de Marcelo Ramos