Fonte: OpenWeather

    Inovação


    Eduardo Braga defende mais investimentos em tecnologia no Amazonas

    Parlamentar também defendeu a integração de institutos de pesquisa com a UEA, por intermédio de startups

    Braga sugeriu ainda a integração dos institutos de pesquisa com a Universidade do Estado do Amazonas
    Braga sugeriu ainda a integração dos institutos de pesquisa com a Universidade do Estado do Amazonas | Foto: Divulgação


    Manaus - O senador Eduardo Braga (MDB/AM) visitou, nesta segunda-feira (2), a Fundação Paulo Feitoza (FPF Tech) e o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), no Distrito Industrial, zona Sul de Manaus, e defendeu mais investimentos e parceria público-privado para o desenvolvimento de  sistemas de tecnologia e inovação para incrementar a economia  do Amazonas.

    Ao lado do vice-governador Carlos Almeida, do diretor executivo da Fundação, Luís Braga,  e do diretor do INDT, Geraldo Feitoza, Braga informou que o Amazonas tem 27 milhões de hectares de várzea aptas para produção de alimentos, mas é necessário a criação sistemas de tecnologia para auxiliar a implantação de projetos de produção em escala comercial.

    O senador citou como exemplo a calha do rio Madeira, onde existem plantações de melancia, jerimum, e poderia produzir milho. "E temos nestes locais de varzea zero de desmatamento, gerando emprego e renda para o povo", sugeriu Eduardo Braga.

    O INDT e a FPF Tech são instituições de referência no Estado no desenvolvimento de novas tecnologias
    O INDT e a FPF Tech são instituições de referência no Estado no desenvolvimento de novas tecnologias | Foto: Divulgação


    Braga sugeriu ainda a integração dos institutos de pesquisa com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por intermédio de startups, empresas emergentes de base tecnológica que têm como missão aprimorar ou desenvolver um modelo de negócio.

    Referência

    O INDT e a FPF Tech são instituições de referência no Estado no desenvolvimento de novas tecnologias, conceitos, produtos, serviços e soluções inovadoras, além de projetos em áreas de software e hardware, capacitação tecnológica, produção científica e sustentabilidade.

    De acordo com o vice-governador Carlos Almeida, neste ano, as empresas beneficiadas pela Lei de Informática devem gerar R$ 600 milhoes em P&D, valor destinado ao desenvolvimento de produtos inovadores.

    *Com informações da assessoria