Fonte: OpenWeather

    Política


    Oposição finge não ver os R$ 7,8 milhões que Amazonino pagou à Norte

    Deputados que compõe CPI atacam um e colocam vendas nos olhos para pagamentos de Amazonino com a empresa Norte Serviços Médicos, envolvida em escândalo da saúde

    Está bem claro que a ordem é desgastar a atual gestão estadual e fabricar o cenário de caos a ser explorado na campanha eleitoral municipal
    Está bem claro que a ordem é desgastar a atual gestão estadual e fabricar o cenário de caos a ser explorado na campanha eleitoral municipal | Foto: Divulgação

    É visível a tática eleitoreira dos parlamentares de oposição ao Governo do Estado na Assembleia Legislativa pressionando em favor de depoimentos seletivos na CPI da Saúde e na tentativa de desqualificar ao máximo as ações do governo Wilson Lima.

    Está bem claro que a ordem é desgastar a atual gestão estadual e fabricar o cenário de caos a ser explorado na campanha eleitoral municipal. A tática ficou patente a partir do instante em que a CPI descobriu escândalos financeiros atribuídos à empresa Norte Serviços Médicos Ltda em suas relações promíscuas com o governo amazonense há vários anos.

    Fez-se um gigantesco esforço midiático para expor o governo Wilson Lima e a gestão passada de David Almeida. E fez-se também de tudo para varrer para debaixo do tapete o escândalo de R$ 7,8 milhões que o ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) pagou a Norte Serviços Médicos em 2018.

    Ante a bateria de ataques disparados pelas milícias digitais oposicionistas nas redes sociais, David dirigiu-se a ALEAM e colocou-se à disposição da CPI para prestar os esclarecimentos necessários. Mas, o comando da Comissão Parlamentar de Inquérito preteriu David, optando por chamar ontem ex-assessores do ex-governador.

    Sobre Amazonino, fez-se o silêncio sepulcral, o que escancarou, aos olhos da opinião pública, a tática maliciosa de blindá-lo de qualquer jeito. O jogo cínico, entretanto, deve chamar a atenção da Justiça Eleitoral para que as eleições de 2020 na cidade de Manaus não sejam maculadas do modo vil, com o uso aberto das milícias da Internet.

    Contexto

    Alessandra Campêlo quer investigar ligações suspeitas de Mário Vianna

    Da condição de quase algoz de deputados, o presidente do Simeam (Sindicato dos Médicos do Amazonas), Mário Vianna, pré-candidato a vereador nas eleições deste ano, pode amargar um processo de dura investigação sobre sua suspeita situação enquanto funcionário do Estado e, ao mesmo tempo, prestador de serviço terceirizado à Susam.

    Em discurso ontem da tribuna da Assembleia Legislativa, a deputada Alessandra Campêlo (MDB) prometeu pedir a abertura de investigações sobre Vianna a fim de desmascará-lo e conter sua tentativa de desestabilizar as ações da Comissão Especial que trata do impeachment envolvendo o governador Wilson Lima e seu vice Carlos Almeida.

    A parlamentar afirma ter informações de que Vianna é vinculado a Susam e recebe pelo IML de forma escusa. “Ele recebe indiretamente da Susam através de cooperativas ou empresas médicas. Esse é o cara mais honesto do mundo que está questionando os deputados, acusando-os de um processo que não existe. Esse é o honestíssimo Mario Vianna, o cara que já invadiu maternidade, fez escândalo e quebrou um jarro de água na cabeça de outro médico”, disse Alessandra.

    Leia mais:

    Deputados reagem contra Simeam e acusam uso da Aleam como ‘trampolim’

    Rosa dos Anjos lança pré-candidatura para vereadora de Manaus

    Marketing eleitoral: três erros que os candidatos cometem