Fonte: OpenWeather

    Inquérito


    Senadora Vanessa é investigada por ter recebido doação da Odebrecht

    Determinação é do Supremo Tribunal Federal (STF) à Polícia Federal, para que finalize investigação sobre a doação eleitoral

    A delação também envolveu o ex-deputado e atual presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra
    A delação também envolveu o ex-deputado e atual presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra | Foto: Divulgação

    Brasília - Após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal tem 30 dias para concluir a investigação contra a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB). A decisão foi tomada pela ministra Rosa Weber em inquérito sobre caixa dois, aberto após delação de executivos da empreiteira Odebrecht.

    De acordo com a delação do ex-presidente e fundador da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis, a parlamentar teria recebido da empreiteira cerca de R$ 1,5 milhão por meio de caixa dois, ou seja, não declarados à Justiça Federal, durante as eleições municipais em 2012, quando disputou a Prefeitura de Manaus, sendo derrotada no segundo turno pelo adversário e atual prefeito, Arthur Neto (PSDB).

    Leia também: Governadora de Roraima pede a Temer atuação do Exército contra o crime

    A ministra determinou a conclusão do inquérito para que o caso seja julgado. A delação também envolveu o ex-deputado e atual presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra. Tanto ele quanto a senadora já prestaram depoimento à PF.

    Em manifestação sobre o caso, Vanessa relembra que ela foi uma das parlamentares que cobrou a investigação da Operação Lava Jato. “Conforme as investigações avançam, mais claro fica que não há nenhuma irregularidade nas nossas doações. Primeiro, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, retirou a denúncia do âmbito da Lava Jato e, agora tem um prazo para a conclusão da investigação. Temos certeza de que a investigação irá mostrar que todos os recursos da campanha à prefeitura em 2012 foram doações legais e declaradas à Justiça Eleitoral”, enfatizou.

    A partir do relatório do inquérito, a Procuradoria Geral da União (PGR) decide se arquiva o processo ou acata a denúncia contra a senadora.

    Relembre o caso

    Em agosto do ano passado, o então ministro do Supremo e relator da Lava Jato, Edson Fachin, determinou a retirada do inquérito que investigava Vanessa Grazziotin da Operação Lava Jato. Atendendo ao pedido do Ministério Público Federal (MPF), a investigação passou à relatoria da ministra Rosa Weber.

    O MPF concluiu que não havia conexão das investigações de uso irregular de recursos não declarados na campanha da senadora à Prefeitura de Manaus, em 2012, com a Operação Lava Jato.

    Leia mais:

    Leis de abordagem de gênero e escola sem partido podem ser suspensas

    Pesquisa eleitoral em Manaus avalia cenário presidencial

    Amazonas é recordista em taxa de 'morte de empresas'