Fonte: OpenWeather

    Em votação


    Câmara aprova licença-paternidade para avós

    O PL estabelece que o direito de licença será usufruído, no período seguinte ao parto, apenas pelo avô ou avó que for declarado acompanhante da grávida

    Pelo texto, o acompanhante poderá se ausentar do trabalho por cinco dias | Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

    Brasil - A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (5) o projeto de lei que permite à avó ou ao avô maternos usufruir da licença paternidade quando o nome do pai não for declarado no registro da criança. A matéria segue para tramitação no Senado.

    O PL estabelece que o direito de licença será usufruído, no período seguinte ao parto, apenas pelo avô ou avó que for declarado acompanhante da mulher que acabou de dar à luz. Pelo texto, o acompanhante poderá se ausentar do trabalho por cinco dias, sem prejuízo do salário. 

    Leia também: Parlamentares avaliam derrubar decreto que afeta Zona Franca de Manaus

    “A medida busca assegurar que a parturiente tenha alguém para acompanhar e auxiliar no período seguinte ao parto, momento de notórias dificuldades enfrentadas pela mulher com sua própria saúde e com o cuidado ao bebê”, justificou o deputado Lucas Vergilio (SD-GO), autor da proposta.

    O texto incorporou o Projeto de Lei 7674/17, que inclui a concessão de um dia de dispensa por mês para a trabalhadora que doar leite materno. Essas folgas poderão ser usufruídas após o término da licença maternidade, cumulativamente, se a doadora fizer as doações durante essa licença. Para ter o direito à dispensa, a doação precisa ser atestada por banco oficial de leite. 

    Leia mais

    Preso em Manaus homem procurado pela justiça do Ceará por homicídio

    Bancada do AM já tem estratégias para reduzir IPI das bebidas

    Gasolina pode chegar a R$5 nos próximos dias em Manaus