Fonte: OpenWeather

    judiciário


    Délcio Santos é nomeado por Amazonino para a vaga no TJAM

    Desde a candidatura, Délcio era visto, nos bastidores, como possível dono da vaga

    Questionado sobre a existência de proximidade, Délcio argumenta que o governador o conhece pela atuação na advocacia e de matérias jornalísticas. | Foto: Fabiane Morais

    Manaus - Menos de duas horas depois de o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam) formar a lista tríplice com os candidatos à vaga de desembargador, o governo do Estado do Amazonas publicou, no Diário Oficial do Estado (DOE), que o escolhido para ocupar 26º e última vaga da corte é Délcio Santos, que conquistou 22 votos. Os concorrentes Jorge Pinho e Silvio Costa, empataram com 10 votos. Agora, ele terá 30 dias para comunicar o tribunal sobre a data que deseja ser empossado.

    Desde a candidatura, Délcio era visto, nos bastidores, como possível dono da vaga. Isso porque já atuou, em 2006, como advogado do então governador, Eduardo Braga (MDB), apontado, atualmente, como candidato ao senado de Amazonino. À época, Délcio defendia a coligação de Braga “Pelo Bem do Amazonas”, que pedia a cassação de Amazonino, que pertencia a coligação ‘Amazonas para Todos”.

    Leia também: TJAM define lista tríplice para desembargador nesta quarta (13)

    Questionado sobre a existência dessa proximidade, Délcio argumenta que o governador o conhece pela atuação na advocacia e de matérias jornalísticas. “Não temos uma relação próxima e não fui advogado dele”, disse. Délcio lidera as votações, desde a primeira fase, a escolha pela Ordem dos Advogados do Amazonas (OAB-AM), em que alcançou 741 votos.

    Outra aposta para a vaga era Jorge Pinho que ganhava pontos, porque já teve essa relação direta com Amazonino, ao atuar como procurador-geral do Estado, na gestão do pedetista, de 1999-2003. Sobre o resultado da votação, ele foi direto e enfático. “Feliz e agradecido”. Já Silvio Costa, que também entrou na disputa, ocupou a vaga de procurador da Câmara Municipal de Manaus (CMM), também exerceu a advocacia privada nas áreas cível, trabalhista, sindical, de família e empresarial.

    O presidente do Tjam, Flávio Pascarelli, informa que os três mais votados cumprem os requisitos constitucionais e subjetivos, como domínio do saber jurídico e idoneidade moral. “Agora o governador vai ter acesso a esta lista escolher quem vai nomear dentro de 20 dias e, posteriormente o escolhido me comunicará, dentro de 30 dias, a data em que deseja ser empossado”, afirmou.