Fonte: OpenWeather

    Entrevista


    'Política não é carreira, é serviço', diz Luiz Castro

    Em entrevista ao EM TEMPO, Luiz Castro destaca suas propostas para áreas da educação, saúde, cultura e Zona Franca de Manaus (ZFM)

    O parlamentar foi prefeito do município de Envira por dois mandatos
    O parlamentar foi prefeito do município de Envira por dois mandatos | Foto: Divulgação

    Manaus - Professor e advogado, o deputado estadual e candidato ao Senado pela Rede, Luiz Castro, assumiu o compromisso de renunciar benefícios como pensão e plano de saúde vitalícios, referentes ao cargo, caso seja eleito.

    Para o parlamentar, que também foi prefeito do município de Envira por dois mandatos, os brasileiros não devem ser representados por pessoas que utilizam a política e cargos públicos para obter privilégios.

    Em entrevista ao EM TEMPO, Luiz Castro destaca suas propostas para áreas da educação, saúde, cultura e Zona Franca de Manaus (ZFM).

    EM TEMPO – O senhor registrou em cartório a renúncia de determinados privilégios que o senador recebe. Porque essa atitude?

    Luiz Castro - Não faço política pensando em dinheiro. Política não é carreira, é serviço. O brasileiro precisa ser representado por políticos que não façam da política um meio de vida. O salário já é suficiente para bancar sua moradia, seu plano de saúde. Não se pode utilizar um cargo público para enriquecer e obter privilégios. Acho um absurdo a aposentadoria vitalícia para um ex-senador. Ele deve contribuir como um cidadão comum e não ter essa regalia. Plano odontológico vitalício para ele e sua família são gastos que representaram no ano passado um total de R$350 milhões. O Brasil não aguenta mais privilégios, por isso assinei esse compromisso.

    EM TEMPO - No Senado, como pretende defender a Zona Franca de Manaus (ZFM) e evitar as recorrentes ameaças ao modelo?

    Luiz Castro – É necessária a formação de uma equipe técnica que deverá me apoiar na agilização de processos. Pretendo articular uma ação integrada com senadores da Região Norte para que, a partir dessa unificação, a bancada atue em defesa da Zona Franca. Precisamos fazer com que a Suframa volte a ser uma instituição séria, integrar nossa luta às lutas de outros estados da região. Minha prioridade é defender uma política integrada com forte viés técnico, fortalecer o Polo Industrial e pavimentar a BR-319.

    EM TEMPO – O senhor possui algum planejamento para trabalhar a biodiversidade a fim de levar emprego e renda para a região metropolitana e municípios do interior?

    Luiz Castro - Sou forte defensor do desenvolvimento sustentável. Precisamos aproveitar óleos e essências, gerar emprego através da indústria de cosméticos e componentes industriais, além de desenvolver alternativas sem esquecer o turismo. O potencial turístico do Amazonas é imenso e devemos fazer desse potencial uma realidade para gerar emprego e renda, qualificando e treinando os profissionais dessa área. Precisamos sair do planejamento e de uma mudança profunda no Estado.

    Castro assumiu o compromisso de renunciar benefícios como pensão e plano de saúde vitalícios, referentes ao cargo, caso eleito.
    Castro assumiu o compromisso de renunciar benefícios como pensão e plano de saúde vitalícios, referentes ao cargo, caso eleito. | Foto: Divulgação

    EM TEMPO - Como será a sua atuação em prol da saúde?

    Luiz Castro - Precisamos trabalhar com consistência para trazer as emendas necessárias, resolver problemas claros e efetivos para agilizar o atendimento e focar na realidade amazônica para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a saúde. É preciso fiscalizar hospitais que recebem verbas do governo federal e cobrar a mudança do que precisa ser mudado.

    EM TEMPO – De que forma pretende lidar com a proteção da criança e do adolescente e a questão da segurança pública em seu mandato?

    Luiz Castro - Vamos trabalhar na preservação da criança e adolescente, combatendo principalmente a pedofilia. Devemos trabalhar a segurança pública de forma geral. Vejo os atuais gestores e representantes fazendo cara de paisagem. Não vejo os senadores cobrando a ampliação do efetivo da Polícia Federal. Não tenho medo da PF. Quero o seu fortalecimento. A mim interessa o combate à corrupção também, trazendo mais recursos para as polícias, fazendo um pacto com a segurança pública e interagindo com o Ministério da Defesa.

    EM TEMPO – Na área da educação, temos a Cidade Universitária - que foi prometida em Iranduba - e até o momento não está finalizada e nem em funcionamento. O que o Amazonas pode esperar do seu mandato na área da educação?

    Luiz Castro - O próximo governador precisa definir o que fazer com aquela área; é dinheiro público investido. No Senado, vou defender a valorização dos professores. Também sou professor. É necessária a manutenção das escolas de tempo integral e defesa de projetos no contra-turno escolar, além de fortalecer o ensino técnico e destinar mais recursos para o programa Jovem Aprendiz. Precisamos também valorizar artistas locais e preservar locais históricos, tornar a cultura uma fonte de geração de emprego e renda, e trabalhar os esportes de maneira maciça, para ampliar as atividades para jovens e adolescentes.

    Leia mais: 

    Candidatos ao Senado com mais recursos do que candidatos ao governo

    Candidato ao Senado, Luís Castro destaca propostas na TV em Tempo

    Mudança de lado envelhece políticos que diziam ser a 'renovação' do AM