Fonte: OpenWeather

    Política


    Associações desmentem greve da polícia em Manaus e atribuem boatos a politicagem

    De acordo com o sargento Pereirinha, o boato tomou uma proporção tão grande que todas as associações tiveram que se juntar para esclarecer o fato – foto: Kattiúcia Silveira
    De acordo com o sargento Pereirinha, o boato tomou uma proporção tão grande que todas as associações tiveram que se juntar para esclarecer o fato – foto: Kattiúcia Silveira

    Membros da Associação dos Subtenentes e Sargentos, Policias e Bombeiros Militares do Amazonas (Asspbmam) desmentiram na manhã desta quinta-feira (25) boatos de que a Polícia Militar ou qualquer outra instituição do sistema de segurança do Estado estaria planejando uma greve para os próximos dias.

    A informação foi repassada durante coletiva de imprensa na sede da Asspbmam, localizada na rua Uirapuru, no conjunto Beija-Flor, bairro Flores, Zona Centro-Sul da capital, onde estavam diversas entidades de classe representativas do sistema de segurança pública do Estado.

    Os boatos sobre a ‘suposta’ greve da polícia vem sendo divulgados por meio do Whatsapp, em forma de corrente, e repassada a centenas de usuários da rede social.

    Entre os presentes na reunião estavam membros da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares do Amazonas (Acspbmam), Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Associação dos Militares Estaduais (AME-AM) e Associação das Esposas dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Amazonas (Aecspbmam).

    De acordo com o sargento Pereirinha, o boato tomou uma proporção tão grande que todas as associações tiveram que se juntar para esclarecer o fato. “Essa é a primeira vez que todas as entidades estão reunidas. Nós queremos deixar claro que não vamos entrar em greve e que todas essas questões sobre a falta de segurança estão surgindo com a chegada das eleições. Isso tudo é obra de politicagem”.

    Propaganda

    O diretor jurídico da Apeam, Gerson Feitosa, informou que a associação entrou com uma representação coletiva no Ministério Público Estadual (MPE) e no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra uma propaganda do senador e candidato ao governo do Estado  Eduardo Braga (PMDB).

    “Se a gente voltar 30 dias antes da eleição, a gente percebe que esses boatos que estão agora rolando na capital não existiam. Na Copa do Mundo, nós fomos até elogiados, mas começou o período eleitoral, aí até vaca voa. Entramos com essa representação porque condenamos a atitude de candidatos que chamam os policiais - que arriscam suas vidas - de bandidos, durante o horário eleitoral”, disse.

    O presidente da associação afirmou ainda que não aceita que os candidatos ao governo estejam criticando a segurança no Estado. “Todas as questões estão voltadas para a segurança pública e se vocês observarem, o índice de violência baixou bastante, comparando com os outros anos, mesmo assim, hoje, os candidatos querem aterrorizar a população, falando da insegurança. A policia do Amazonas é eficiente, passando a eleição, vocês vão ver como tudo vai voltar à tranquilidade que era antes”.

    Pereirinha ainda acrescentou que a população deve perguntar à própria policia sobre a real situação da segurança pública no Estado. “Nós lançamos um desafio para qualquer pessoa: pare uma viatura da polícia e pergunte a real situação da segurança pública ou o quê a polícia tem a dizer sobre essa paralisação. Vocês vão ouvir da qualidade de vida que melhorou e que eles estão compromissados em prestar um bom serviço à população. Todos estão indignados com a utilização da imagem da policia para conduzir a população ao desespero”.

    Sobre o assunto, por telefone, a assessoria do candidato Eduardo Braga afirmou à reportagem do EM TEMPO Online que, mais uma vez, a polícia está sendo usada pelo candidato à reeleição, José Melo (Pros), e ressaltou que, até o momento, nenhuma representação chegou ao conhecimento deles.

    Kattiúcia Silveira (EM TEMPO Online)