Fonte: OpenWeather

    Política


    TRE recolhe material da campanha de José Melo

    Material foi recolhido, ontem, em duas gráficas. Segundo TRE, quantidade foi maior do que a registrada no órgão – foto: Carlos Eduardo Matos
    Material foi recolhido, ontem, em duas gráficas. Segundo TRE, quantidade foi maior do que a registrada no órgão – foto: Carlos Eduardo Matos

    Cerca de 500 placas de propaganda eleitoral, pertencentes ao candidato ao governo do Estado José Melo (Pros), da coligação Fazendo Mais Por Nossa Gente, foram apreendidas, ontem de manhã, pela comissão de fiscalização de propaganda do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

    O material estava em duas gráficas, uma localizada na avenida Tefé, bairro Japiim, Zona Sul de Manaus, e outra na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, e foi aprendido após denúncia feita pelos advogados da coligação Renovação e Experiência, do candidato Eduardo Braga (PMDB), de que havia uma impressão exorbitante de material gráfico de publicidade eleitoral. As placas eram destinadas a vários municípios do interior, entre eles, Manacapuru.

    De acordo com o juiz da propaganda eleitoral, Henrique Veiga, nas duas gráficas, foi constatado que o número de placas impressas era muito maior em relação ao pedido que estava registrado na encomenda feita pela coligação de José Melo.

    Em vez de apenas 40 placas, as gráficas já haviam impresso mais de 500 unidades. “Todos os gastos de campanha política têm que ser declarados ao TRE, devem estar no borderô de caixa. Se o candidato quer 500 placas de propaganda, ele tem que registrar o pedido na gráfica, pois esse documento é usado na prestação de contas”, explicou.

    Os cavaletes foram recolhidos pela equipe de fiscalização e levados para o TRE, no bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul. Segundo o magistrado, será feito um Termo de Notificação de Infração (TNI), que será encaminhado ao Ministério Público Eleitoral. O advogado da coligação Fazendo Mais Por Nossa Gente, José Fernandes, disse que a apreensão do TRE foi um equívoco, pois as placas que estavam sendo confeccionadas estavam dentro da prestação de contas. “A impressão era feita em grupos, tipo ‘Banco do Povo, Vote Melo’, ‘Mais Segurança, Vote Melo’, e os pedidos eram feitos de 40 em 40 unidades. Vamos reverter esta situação e recuperar esse material gráfico”, afirmou.

       Coação à equipe

    A coligação Renovação e Experiência, do candidato Eduardo Braga (PMDB), informou, ontem, que uma equipe de reportagem da coligação foi coagida por mais de dez policiais militares, no momento que filmava viaturas estacionadas em um quartel dentro da Universidade Nilton Lins.

    O jornalista Yano Sérgio contou que estava apurando a denúncia, quando foi cercado por três viaturas policiais, que os impediram de ir embora. “Eu recebi a denúncia de que havia viaturas policiais paradas no quartel e fui verificar. Fiquei detido ali quase uma hora, até que uma tenente PM disse que era proibido filmar as viaturas, mas eu estava fazendo o meu trabalho jornalístico”, afirmou.

    A assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que os policiais militares orientaram a equipe da coligação que não podia filmar as dependências do quartel, por tratar-se de um local privado, em seguida liberaram os profissionais.