Fonte: OpenWeather

    Política


    Vereador é detido em Manaus com R$ 12 mil que seriam usados pra compra de votos

    A coletiva de imprensa ocorreu na sede da Polícia Federal junto com o delegado Fábio Pessoa e o Superintendente Regional da Polícia Federal, Marcelo Rezende –foto: Kamyla Gomes
    A coletiva de imprensa ocorreu na sede da Polícia Federal junto com o delegado Fábio Pessoa e o Superintendente Regional da Polícia Federal, Marcelo Rezende –foto: Kamyla Gomes

    A Polícia Federal divulgou na tarde desta terça-feira (30) a prisão de um vereador do município de Tonatins (distante a 872 quilômetros) com R$ 12 mil que seriam usados para a compra de votos a políticos da coligação a qual pertence.

    A prisão ocorreu no final da tarde de ontem (29) no Terminal 2 do aeroporto Eduardo Gomes (Eduardinho), na avenida Santos Dumont, Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

    De acordo com delegado Fábio Pessoa, o nome do político e da coligação que apoia não foram revelados para não comprometer as investigações, mas este confessou que o dinheiro seria utilizado para a compra de votos.

    “Ele confessou que o dinheiro era para arrecadar votos em Tonantins. O suspeito ia de Manaus para Tabatinga, e de lá seguiria para o município de barco. A prisão foi realizada em flagrante, mas como crime eleitoral tem menor potencial ofensivo foi arbitrada a fiança de R$ 5 mil e ele foi solto no mesmo momento”, disse o delegado, acrescentando que a pena para o crime de corrupção eleitoral é de até quatro anos de detenção. O dinheiro aprendido foi depositado em juízo.

    Desde quinta-feira (25) passada, as fiscalizações vêm sendo intensificadas em portos e aeroportos do Estado. Ainda conforme o Fábio, os crimes agravados em auto de prisão em flagrante são encaminhados ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

    No último sábado (27) houve também a apreensão de R$ 160 mil no município de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), que estava em posse de uma mulher que não teve o nome revelado. Ela, porém, conseguiu provar na Justiça Eleitoral que a quantia era lícita e recuperou o montante.

    O Superintendente Regional da Polícia Federal, Marcelo Rezende, disse que o órgão se preocupa em atuar de forma preventiva no pleito eleitoral, em que, infelizmente, o uso de dinheiro para a corrupção é frequente. No Amazonas, esses valores vêm sendo transportados via aérea ou fluvial.

    A Polícia Federal tem atribuição condicional de polícia aeroportuária para fiscalizar em portos e aeroportos, no qual é uma missão eventual e rotineira, e inibem o esforço ou tentativa para usar esses meios para transporte de valores para o uso ilícito de compra de votos.

    A operação continuará até domingo (5) atuando em Manaus e em oito municípios do interior, contando com o apoio da Polícia Civil e a Polícia Militar.

    As pessoas que forem autuadas pelo o crime de corrupção eleitoral serão conduzidas ao TRE, onde serão montados os juizados especiais eleitorais para atendimento das ocorrências.

    A Polícia Federal reforça que a população também pode ajudar a inibir o crime eleitoral ligando para o número 3655-1515.

    Por Kamyla Gomes (EM TEMPO Online)