Fonte: OpenWeather

    Política


    Marina promove Rede Sustentabilidade em coletiva

    Marina Silva esteve no Amazonas para promover seu novo partido - foto: Joel Rosa

    Contribuição voluntária e colaborativa foram propostas apresentadas pela ex ministra Marina Silva para promover a Rede Sustentabilidade em coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (23) no Centro Cultural Reunidos, localizado na Praça do Congresso, 10, Centro de Manaus.

     Em discurso a líder da Rede Sustentabilidade ressaltou as estratégias que estão sendo adotadas para o reconhecimento da rede como legenda política. “Ficamos dois anos na forma de um movimento da sociedade civil e esse movimento tomou a decisão recente de que para além do movimento seríamos um partido político a serviço das causas do movimento e agora estamos nós estamos criando os comitês pró-rede”, falou.

    “Temos a participação das pessoas que estão ligadas à rede, que estão nesse processo conosco desde 2010 e temos os simpatizantes e os amigos. Temos pessoas do PT, PSB, PPS e de todos os partidos que tem um posicionamento democrático de que é legítimo ter mais essa ferramenta política”, declarou a idealizadora.

    Segundo a Marina, para o Amazonas a expectativa é de reunir 20 mil assinaturas e atesta que a proposta de transparência e liberdade da rede “As pessoas tem a sensibilidade elas sabem na própria pele, que algo está acontecendo e que precisa ser feito, com uma tomada de atitude de mudanças”.

     O renomado poeta amazonense Thiago de Mello esteve presente na coletiva e declarou apoio à Marina Silva e relembrou à caminhada junto à ex ministra. “Eu irei com a Marina onde ela for, eu tenha absoluta certeza que ela na presidência não será “caixa 2”. Ela está criando para o Brasil um caminho novo”, falou.

    Eleições 2014

     Questionada sobre uma possível candidatura nas eleições presidenciais de 2014, Marina garantiu momento certo para posicionamento. “Primeiro estamos fazendo um esforço de criarmos a Rede de Sustentabilidade, vamos fazer um profundo debate ampliando aquilo que foram as diretrizes programáticas de 2010, isso será feito em seminário nacional, estadual e municipal com os diferentes setores, com os empresários, com os trabalhadores com a juventude. Vamos abrir uma agenda para discutir o Brasil”, pontuou.

     “As pessoas só conseguem vê a eleição como uma forma de chegar ao poder e o intervalo das eleições é muito importante para discutir ideias, propostas e fazer o alinhamento programático para criar possíveis bases de apoio”, explicou

    No tempo oportuno vamos fazer a discussão se seremos ou não seremos candidatos, não queremos antecipar as eleições, essa antecipação não é boa para o Brasil, nós acabamos de fazer as eleições para prefeito e já anteciparam as eleições para 2014.