Fonte: OpenWeather

    Política


    Fiscalização para a circulação de carretas em Manaus é discutida na CMM

    A Comissão de Transporte da Câmara Municipal de Manaus (CMM) discutiu na manhã desta quinta-feira (28) novas ferramentas para fiscalizar a circulação de carretas de transporte de cargas pesadas na cidade de Manaus.

    De acordo com presidente da comissão, vereador Rosivaldo Cordovil (PNT), a reunião foi convocada devido ao grande número de acidentes que vem ocorrendo em toda a cidade.

    Na última quinta-feira (21), aconteceu um acidente envolvendo uma carreta contêiner na passagem subterrânea da avenida Humberto Calderaro Filho, antiga Paraíba. O acidente causou um grande congestionamento nas imediações da área e os reflexos foram sentidos até á noite, em vários pontos da cidade.

    O diretor presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans), Paulo Henrique Martins, afirmou que o problema do trânsito de Manaus é antigo, ocasionado pela falta de investimentos em muitos anos.

    “A falta de investimento ao longo dos anos ocasionou esses problemas e, para melhorar essa situação, estamos montando planos para facilitar o transporte na cidade. Os resultados têm sido positivos, como a implantação da Faixa Azul, que vem facilitando o transporte coletivo”, disse Paulo Henrique.

    O decreto de lei 2100/2013, restringe a circulação de veículos pesados na cidade, mas segundo Marcos Fabrício, do Conselho Comunitário do Bairro Japiim 2, a lei não vem sendo cumprida.

    “Temos problemas sérios com o fluxo continuo de veículos pesados que circulam dentro do Japiim 2. Antes era apenas em um horário e hoje o que podemos observar é um fluxo continuo, e o asfalto que não é próprio não suporta, trazendo vários transtornos para a população que sofre com os buracos e barulhos feitos pelas carretas’, disse Marcos.

    Para o diretor presidente do Manaustrans, avançar com restrição de circulação de veículos pesados seria a solução para o problema, mas sem prejudique a indústria.

    Segundo o diretor presidente do Departamento Estadual de Trânsito, Leonel Feitosa, de janeiro a março deste ano, mais de 80 carretas foram apreendidas com diversas situações, entre elas ausência de carteira de habilitação dos motoristas e até cargas mal condicionadas.

    Para Feitosa, a restrição em certos horários desses veículos poderia minimizar o problema de trânsito na cidade.

    “Tem que haver realmente a restrição de horário para dar mais segurança à população e a CMM tem que delimitar a circulação desses veículos. Hoje, a polução teme em trafegar do lado de carretas com contêiner, devido ao relato de vários acidentes, muitas infelizmente com vitimas fatais. Então nós temos sim que restringir o horário de circulação, logicamente não prejudicando o comércio, a indústria”, falou Feitosa.

    Por equipe EM TEMPO Online
    Com informações de Henderson Martins

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores