Fonte: OpenWeather

    Política


    Câmara aprova PL que obriga divulgação de critérios de adesão à Tarifa Social

    Pedido foi protocolado na Câmara Municipal de Manaus, nesta terça-feira (11) - foto: Roberval do Rocha/Dircom-CMM
    Votado pelos vereadores de Manaus nesta segunda (8), Projeto de Lei ainda será encaminhado para averiguação e aprovação do prefeito Arthur Neto (PSDB) - foto: Roberval do Rocha/Dircom-CMM

    Projeto de Lei que obriga a concessionária Manaus Ambiental a divulgar os critérios de adesão à Tarifa Social na conta mensal de água e também nos meios de comunicação foi aprovado nesta segunda (8), pela Câmara Municipal de Manaus (CMM).

    O PL será encaminhado para averiguação e aprovação do prefeito Arthur Neto (PSDB). Se aprovado entrará em vigor a partir da data de sua publicação.

    “Já considero uma vitória da população de Manaus a efetivação desse projeto”, comemorou o vereador Waldemir José (PT), autor da proposta.

    Para o parlamentar, a Tarifa Social, criada durante o Governo do ex-presidente Lula (2002/2010), como item da Lei de Saneamento Básico, é uma redução para usuários de baixa renda, podendo representar até 40% de economia no valor das tarifas de água e esgoto para essas famílias, em Manaus.

    “Com essa nova Lei, se aprovada pelo prefeito, acredito que será feita justiça a várias famílias de baixa renda que já deveriam ter recebido o benefícios há anos”, salientou.

    De acordo com a justificativa do Projeto de Lei, existe a real necessidade de implantação do benefício, considerando que em Manaus existem cerca de 100 mil famílias de baixa renda que necessitam da Tarifa Social.

    “Se o abastecimento de água for suspenso para essas pessoas, levará a prática de ligações clandestinas o que pode acarretar danos à saúde e despesas para o Poder Público”,encerrou o petista.

    Com informações da assessoria

    Mais lidas

    1. Cidadão pode contribuir com leis em portal

    2. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    3. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    4. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    5. Temer exonera oito ministros