Fonte: OpenWeather

    Política


    Pezão defende lei nacional que multe porte de armas brancas

    O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, defendeu nesta quinta-feira (11) que o Congresso Nacional aprove uma lei que proíba o porte de armas brancas, como fez ontem (10) a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O projeto aguarda sanção do governador, que declarou ter a intenção de aprová-lo.

    "Em princípio, não vejo problema nenhum [no projeto]. Agradeço muito à Assembleia Legislativa e espero que o Congresso Nacional tome a mesma posição", disse Pezão, que considerou a ausência dessa lei "uma falha".

    A lei aprovada ontem pelos deputados estaduais do Rio multa com R$ 2,4 mil a R$ 24 mil quem for flagrado com facas, punhais ou similares que tenham lâminas de mais de 10 centímetros. A lei prevê que não será multado quem puder justificar o porte como instrumento de trabalho, e o valor da multa será definido pela Polícia Civil.

    Pezão disse ainda que estão em estudo a construção e a ampliação de unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) e que a intenção é iniciar as obras ainda neste ano. Novas unidades seriam erguidas em Tanguá e Duque de Caxias. Em Volta Redonda e Campos dos Goytacazes haveria expansão das existentes.

    O governador participou do anúncio do Mapa da Pessoa com Deficiência, que será produzido pela organização não governamental (ONG) RioSolidário, em parceria com o Sebrae-RJ. Segundo a ONG, que é presidida pela primeira dama do Rio, Maria Lúcia Cautiero Horta Jardim, o objetivo do projeto é cadastrar as pessoas com deficiência do estado, cuja população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística é 3,9 milhões. O anúncio foi feito no 1º Encontro Autonomia para Pessoa com Deficiência, realizado hoje na sede da Federação das Indústrias do Estado para debater políticas públicas voltadas ao tema.

    O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, também participou do anúncio e disse que é inadmissível que cidades não tenham planos de médio e longo prazos para a adaptação de calçadas e o transporte público. Ao deixar a mesa de abertura, Kassab disse à imprensa que os investimentos para a construção da Linha 3 do Metrô serão feitos "no seu tempo", e que são prioridades as obras de mobilidade que vão contribuir para "o sucesso das Olimpíadas", em agosto do ano que vem.

    "O governo federal continuará dando todo o apoio possível ao estado do Rio na questão da mobilidade" acrescentou.

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores