Fonte: OpenWeather

    Política


    Impeachment de Dilma sem motivo seria dano à democracia, diz NYT

    O jornal britânico ‘Financial Times’ também afirmou em editorial que ainda não há motivos para o impeachment de Dilma - foto: divulgação
    O jornal britânico ‘Financial Times’ também afirmou em editorial que ainda não há motivos para o impeachment de Dilma - foto: divulgação

    Em editorial publicado nesta segunda-feira (17), o jornal americano ‘The New York Times’ diz que o impeachment da presidente Dilma Rousseff sem evidências concretas de que ela tenha cometido ilegalidades traria "sério dano a uma democracia que vem se fortalecendo nos últimos 30 anos".

    O texto, publicado nesta terça (18) na versão internacional do "NYT", ressalta o contexto de crise econômica no país e a Operação Lava Jato, mas afirma que "a solução não deve minar as instituições democráticas, que garantem estabilidade, credibilidade e um governo honesto".

    "Em meio a essa turbulência, é fácil deixar passar a boa notícia: a força das instituições democráticas brasileiras", diz o texto. O jornal afirma que os promotores da Operação Lava Jato não foram dissuadidos por quem está no poder, o que "representa um revés para a cultura arraigada de imunidade entre as elites governamentais e empresariais".

    O jornal cita as prisões de ex-executivos da Petrobras, do presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e do almirante reformado Othon Luiz Pinheiro da Silva, presidente licenciado da Eletronuclear suspeito de receber propinas de empreiteiras responsáveis pela construção da usina de Angra 3.

    Popularidade

    O jornal lembra ainda os protestos pelo impeachment de Dilma neste domingo (16) e a baixa popularidade da presidente, mas diz que "nada sugere que outro líder político faria um trabalho melhor na economia".

    O ‘NYT’ aponta que a presidente, que presidiu o Conselho de Administração da Petrobras entre 2003 e 2010, "não tomou medidas para constranger ou influenciar as investigações" da Lava Jato, apesar do custo político da operação. Em vez disso, "enfatizou que ninguém está acima da lei e apoiou a recondução de Rodrigo Janot", procurador-geral da República.

    O editorial esclarece que as investigações não encontraram evidências de ilegalidades cometidas pela presidente, mas que "sem dúvida" Dilma é responsável pelas políticas que levaram o Brasil à crise econômica.

    Nesta segunda, o jornal britânico ‘Financial Times’ também afirmou em editorial que ainda não há motivos para o impeachment de Dilma e que, caso ela deixasse o cargo, seria substituída por "outro político medíocre".

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    2. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    3. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    4. Temer exonera oito ministros

    5. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base