Fonte: OpenWeather

    Política


    Aprovada admissibilidade de PEC que muda critério de escolha de ministros do STF

    A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (16) a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 17/11, que altera o critério de escolha dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), dividindo as indicações entre seis instituições. Hoje as escolhas e indicações dos ministros do STF são feitas exclusivamente pelo presidente da República.

    De autoria do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), a PEC terá agora de ser apreciada por comissão especial a ser criada pelo presidente da Câmara. Só depois será levada à discussão e votação do plenário,  em dois turnos de votações. A PEC poderá ser apensada a outra que propõe também mudança nos critérios de escolha dos ministros do Supremo e tramita em fase final em comissão especial da Casa.

    De acordo com a PEC cuja admissibilidade foi aprovada hoje, a escolha dos 11 ministros do STF será feita da seguinte forma: três  indicados pelo Superior Tribunal de Justiça entre os próprios ministros da Corte; dois escolhidos pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e dois pelo procurador-geral da República. À Câmara caberá indicar um ministro para o STF; ao Senado, também um, e ao presidente da República, dois dos 11 ministros da Corte.

    Pela PEC, no caso das indicações do presidente da República, é proibida a escolha de ministro de Estado, do advogado-geral da União ou de quem tenha ocupado tais funções nos três anos anteriores à abertura da vaga no Supremo.

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores