Fonte: OpenWeather

    Política


    Contas reprovadas de Dilma ainda não começaram a ser analisadas pela CMO

    A Comissão Mista de Orçamento do Congresso ainda não começou a analisar a decisão do TCU (Tribunal de Contas da União) de reprovação das contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff porque a Corte não enviou ao Legislativo todos os documentos do processo. Desta forma, fica cada vez mais improvável que a deliberação sobre as contas possa ser concluída neste ano.

    Na semana passada, o TCU encaminhou ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o relatório, a síntese e o voto elaborado sobre o processo. Ainda falta o encaminhamento do acórdão do processo. Para que seja dado andamento ao caso, Renan precisa ler a decisão no plenário da Casa e, em seguida, os documentos são encaminhados para a CMO (Comissão Mista de Orçamento), que terá 77 dias corridos para deliberar.

    De acordo com a assessoria de imprensa do TCU, o acórdão foi protocolado no Senado nesta tarde, mas a Casa ainda não confirma o recebimento.

    A comissão pode manter o entendimento do TCU ou pode divergir do tribunal e aprovar as contas da presidente ou ainda indicar a aprovação com ressalvas. A decisão da comissão deverá ser analisada, em seguida, pelo plenário do Congresso.

    A presidente da CMO, a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), informou que irá designar o relator para analisar as contas assim que o processo for encaminhado à comissão. Ele terá, então, 40 dias para apresentar seu parecer. Ela já havia dito na semana passada, que escolherá alguém capaz de fazer uma análise técnica sobre a decisão mas que também tenha trânsito entre os integrantes da comissão, tanto da base aliada quanto da oposição.

    Em seguida, abre-se um prazo de 15 dias para a apresentação de emendas ao texto e, ao final deste prazo, o relator tem mais 15 dias para finalizar o seu relatório. A comissão terá então, sete dias para votar o documento, que aprovado, será encaminhado para análise conjunta do Congresso Nacional.

    De acordo com a senadora, todos os prazos serão rigorosamente cumpridos para se evitar um questionamento político. Para ela, esta análise específica de contas é diferente das demais pelo momento de crise que o governo enfrenta.

    Contas aprovadas

    Na sessão desta quarta, a CMO aprovou as contas de 2011 do governo Dilma Rousseff. Na semana passada, o colegiado havia aprovado as contas relativas a 2010 e 2012. Ainda estão pendentes de apreciação três prestações de contas, sendo duas do ex-presidente Fernando Collor e uma de Dilma.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Temer exonera oito ministros

    2. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    3. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    4. Amazonino Mendes empossa novos gestores

    5. Propostas de David Almeida serão retiradas de pauta da Aleam