Fonte: OpenWeather

    Política


    Processo contra Xinaik está ‘parado’ em Iranduba

    Xinaik Medeiros está preso em Manaus desde o dia 10 de novembro, acusado de corrupção em Iranduba- foto: Ricardo Oliveira
    Xinaik Medeiros está preso em Manaus desde o dia 10 de novembro, acusado de corrupção em Iranduba- foto: Ricardo Oliveira

    A análise do pedido de cassação do mandato do prefeito afastado de Iranduba, Xinaik Medeiros (Pros), deve ficar para 2016. A informação é do vice-presidente do Conselho de Cidadãos de Iranduba, Antônio Maia. De acordo com ele, os três vereadores que compõem que Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que analisa, desde novembro, o pedido de cassação de Xinaik, têm protelado a decisão para que o processo só seja analisado ano que vem.

    “Em todas as sessões eles (vereadores) arrumam uma desculpa para não entrar em discussão nenhuma. Nesta terça-feira (15), por exemplo, é dia de sessão e não tem nada pautado”, disse Antônio Maia. Xinaik Medeiros foi preso no dia 10 de novembro, em Manaus, acusado pelo Ministério Público do Estado (MPE) de chefiar um esquema de desvio de dinheiro e fraude em licitações, em Iranduba. Segundo o MP, há suspeita de o esquema ter desviado R$ 56 milhões em recursos municipais e estaduais.

    Após a prisão, os vereadores de Iranduba aceitaram analisar o pedido de cassação do prefeito, no dia 17 de novembro, e têm um prazo de 90 dias para concluir a análise dos documentos apresentados pelo conselho.

    Os vereadores devem se reunir hoje, durante sessão legislativa e é esperado algum retorno dos trabalhos por parte do presidente da CPI, vereador Jarison Azevedo (PTB).

    Mais lidas

    1. Temer exonera oito ministros

    2. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    3. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    4. Amazonino Mendes empossa novos gestores

    5. Propostas de David Almeida serão retiradas de pauta da Aleam