Fonte: OpenWeather

    Política


    Arthur diz que ‘economizar’ será palavra de ordem em sua administração

    Arthur Virgílio tomou posse como prefeito de Manaus em cerimônia realizada na tarde desta terça-feira (1º), no Teatro Amazonas, Centro, e, em seu discurso, mostrou como pretende administrar a cidade nos próximos quatro anos. O tom do discurso do prefeito era de preocupação quanto a atual situação da cidade, que, segundo ele, "perdeu a identidade" por causa dos "problemas acumulados há décadas". Por isso, Arthur afirmou que a palavra de ordem de sua gestão será economizar e poupar, sendo que um dos primeiros atos com essa política foi a redução de 25 para 17 secretarias municipais. "Com responsabilidade nos gastos, vamos aumentar em mais de R$ 200 milhões a capacidade de investimento da Prefeitura”, frisou, destacando que, por se tratar de dinheiro público, será ‘pão-duro’, se necessário for. Arthur também informou que irá trabalhar em conjunto e bem próximo ao governo do Estado e todos os órgãos públicos, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público. Uma das falas mais fortes do novo prefeito foi sobre governar sem se preocupar com o cenário político no futuro. "Vou governar sem me preocupar com possibilidades de futuras eleições ou o que possa querer fazer no futuro", disse Arthur. Promessas Os destaques durante a fala do prefeito foram algumas promessas e exigências que foram expostas sobre problemas na cidade. "A partir de agora, carreta não andará durante o dia em Manaus para atrapalhar o trânsito. E quem diz que isso prejudica as empresas, isso não é verdade", falou Arthur sobre uma das exigências expostas. Outra promessa foi aexigência da mudança da sede da Manaus Ambiental, concessionária do serviço de águas na cidade, e que é sempre alvo de críticas, para a Zona Leste. "Quero que eles recebam as críticas diariamente para sentirem na pele como é a falta de água em Manaus", disse o prefeito. Arthur também pontou a valorização do Centro Histórico como um dos principais objetivos de governo e, por isso, ele afirmou que no dia 24 de outubro, aniversário de Manaus, irá reabrir o Mercado Municipal Adolpho Lisboa, fechado para reforma há mais de seis anos.