Fonte: OpenWeather

    Política


    Prefeito de Manaquiri escapa de investigação

    Denúncias de moradores apontam que a cidade de Manaquiri está “entregue às moscas” e que prefeito Aguinaldo Martins pouco aparece no município - foto: Diego Janatã.
    Denúncias de moradores apontam que a cidade de Manaquiri está “entregue às moscas” e que prefeito Aguinaldo Martins pouco aparece no município - foto: Diego Janatã.

    Em sessão extraordinária em pleno recesso parlamentar, no último dia 28, os vereadores da Câmara Municipal de Manaquiri arquivaram um processo de investigação contra o prefeito da cidade, Aguinaldo Rodrigues (PRTB), cujas denúncias apontam diversas irregularidades em sua administração. Em novembro de 2015, a equipe do EM TEMPO esteve no município e encontrou uma cidade em verdadeiro abandono, com escolas que não funcionavam por falta de merenda escolar, falta de transporte escolar para a zona rural do município e falta de medicamento nos postos de saúde, além da completa ausência do gestor da cidade.

    De acordo com uma moradora de Manaquiri, Aline Santana, 33, o resultado de arquivamento do processo de CPI já estava previsto, uma vez que o relator do processo integra a base aliada do prefeito.

    Conforme Aline, outras irregularidades continuam acontecendo no município, como o atraso do pagamento dos servidores e também o não pagamento do 13º. Aline explica que o movimento que pede o afastamento do prefeito do município pretende fazer uma manifestação em frente à sede da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) com o objetivo de receber o apoio dos deputados estaduais, isso sem uma data prevista para acontecer.

    “Estamos sem ambulâncias, falta medicamento no hospital e os vereadores fecham os olhos e dizem que tudo vai bem. Ouvimos boatos de que existe um vídeo que o próprio prefeito fez, do irmão dele entregando dinheiro para os vereadores, isso para calar a boca dos que deveriam representar o povo”, disse Aline.

    A moradora explica que no interior do Estado é constante a reclamação e indignação da população que clama por mais investimentos no desenvolvimento local e pede mais transparência dos gestores municipais. “Falam da crise econômica que atingiu o Estado, mas quem acaba pagando o preço alto é a própria população amazonense, que sofre com a falta de recursos na saúde, na educação e no saneamento básico”, conta Aline.

    A Controladoria-Geral da União (CGU) afirmou que vários processos de investigação estão em andamento no interior do Estado, inclusive Manaquiri. Mas, para não atrapalhar estes processos, a CGU preferiu não citar os nomes dos envolvidos.

    O próprio procurador de Justiça de Manaquiri, Hilton Serra, informou que havia alguns processos contra o prefeito Aguinaldo Rodrigues tramitando no Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) e em outros órgãos do Estado.

     

    ‘Caso encerrado’

    O vice-presidente da Câmara de Manaquiri, vereador Francisco Castro Rolim (PRP), que presidiu a sessão no dia da votação, falou por telefone que o processo de CPI é caso encerrado, que no dia 28 de dezembro todos os vereadores presentes em plenário votaram por unanimidade para o arquivamento do processo.

    Já o presidente da casa, vereador João Mourão (PHS), antecipou à reportagem que planeja renunciar ao cargo por motivos de saúde. Ele afirmou que estava em Manaus no dia em que aconteceu a votação que arquivou o processo. Mourão afirma ainda que não existe nenhuma irregularidade no município e que toda a questão que envolve o gestor de Manaquiri é uma situação política.

    “Eu não li os autos do processo, mas fiquei sabendo que havia mais de 5 mil páginas e o relatório tinha 96 páginas. Eu só sei que foi aprovado o pedido de arquivamento em virtude da falta de provas”, disse Mourão.

    Por Henderson Martinez

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores