Fonte: OpenWeather

    Política


    Polícia Federal indicia João Santana, Mônica Moura e mais seis pessoas

    Joao-Santana
    Além do casal, também foi indiciado Zwi Skornicki - foto: reprodução

    A Polícia Federal no Paraná indiciou o publicitário João Santana, a mulher dele, Mônica Moura, e mais seis pessoas. O despacho de indiciamento com relatório parcial foi protocolado na Justiça Federal, no Paraná, nesta terça-feira (22).

    De acordo com o documento, para a PF há indícios de que João Santana e Mônica Moura mantiveram depósitos no exterior não declarados e que cometeram crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa. O casal foi preso na 23ª fase da Operação Lava Jato, que investiga a relação de Santana com a empresa Odebrecht.

    Para a PF, existem indícios de manutenção de contas no exterior não declaradas, crime de corrupção ativa, lavagem e organização criminosa. Skornicki foi preso igualmente na 23ª Fase da Operação Lava Jato. Ele é representante oficial no Brasil do estaleiro Keppel Fels, de Cingapura, e é acusado de pagamento de propinas em negócios com a Petrobras.

    Denúncia

    Na lista de indiciados aparecem ainda o ex-gerente de Serviços da estatal Pedro Barusco, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, com indícios de corrupção passiva.

    O indiciamento é enviado à Justiça e ao Ministério Público Federal (MPF). Com o documento, o MPF vai analisar se oferece ou não denúncia contra essas pessoas. Caso a denúncia seja oferecida, será enviada à Justiça e, se aceita, os indiciados passam à condição de réus.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Cidadão pode contribuir com leis em portal

    2. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    3. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    4. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    5. Temer exonera oito ministros