Fonte: OpenWeather

    Política


    Ministro da Saúde vai pedir demissão

    Marcelo Castro é deputado federal pelo PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, cuja legenda que rompeu com o governo federal  - foto: divulgação
    Marcelo Castro é deputado federal pelo PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, cuja legenda que rompeu com o governo federal - foto: divulgação

    Até o final do dia, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, deve entregar a carta de demissão para a presidenta Dilma Rousseff. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do ministério, antes da coletiva de lançamento da campanha de vacinação contra a gripe. Zika e microcefalia foram problemas de saúde pública de maior destaque durante a atuação de Castro no ministério.

    Marcelo Castro é deputado federal pelo PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, cuja legenda que rompeu com o governo federal. Após o rompimento do partido com o governo, os únicos peemedebistas que permaneceram no comando de ministérios eram Castro e Kátia Abreu, ministra da Agricultura.

    Os peemedebistas Henrique Eduardo Alves e Mauro Lopes já haviam deixado o Ministério do Turismo e a Secretaria de Aviação Civil, respectivamente. Celso Pansera, que é deputado federal, deixou o comando do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para votar no processo de impeachment de Dilma na Câmara, e não retornou ao ministério.

    Helder Barbalho, que comandava a Secretaria de Portos, e Eduardo Braga, o Ministério de Minas e Energia, deixaram os cargos por se sentirem desconfortáveis com a situação do PMDB após a abertura do processo de impeachment de Dilma, com amplo apoio do partido na Câmara. Os dois, no entanto, haviam sinalizado que apoiariam a presidenta na tarefa de tentar barrar o processo no Senado. Braga e o pai de Helder, Jader Barbalho, têm mandato de senadores.

    O secretário executivo, Agenor Álvares, que foi ministro da Saúde em 2006, deve ficar interinamente no comando ministério.

    Alterada às 15h45 para acréscimo de informações

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores