Fonte: OpenWeather

    Política


    Em Brasília, secretário de saúde do AM e deputado pedem apoio a ministro para liberação de recursos

    Ricardo Barros mostrou solidariedade diante do quadro e, de forma mais imediata, as emendas parlamentares podem ser liberadas - foto: Rafael Carvalho
    Ricardo Barros mostrou solidariedade diante do quadro e, de forma mais imediata, as emendas parlamentares podem ser liberadas - foto: Rafael Carvalho

    O secretário de Saúde do Amazonas, Pedro Elias, e o líder do Democratas na Câmara, deputado federal Pauderney Avelino (DEM), participaram na manhã desta quarta-feira (1º), em Brasília, com o ministro da Saúde,  Ricardo Barros,  em busca de apoio e ajuda para estancar a forte crise que o Amazonas está passando.

    Pauderney apresentou ao ministro um quadro da situação real da saúde no Estado, que piorou com o agravamento da crise econômica brasileira e com a queda brutal na arrecadação de tributos estaduais. “No Amazonas, chegamos a situação alarmante, com até mesmo a possibilidade de se fechar unidades de atendimento à população. Apresentamos ao ministro o trabalho para reorganizar o sistema de saúde na capital e interior, mas também viemos atrás de recursos que estão no ministério, ou de emendas parlamentares ou de serviços que o Amazonas vem prestando, de média e alta complexidade, e que não estão sendo remunerados pelo SUS”, fala Pauderney.

    Ricardo Barros mostrou solidariedade diante do quadro e, de forma mais imediata, as emendas parlamentares podem ser liberadas, dependendo apenas de publicação do decreto de programação financeira do Governo Federal. “Tem uma emenda minha, com valor alto para a saúde, de R$ 5 milhões, destinada ao Estado, que pode ser liberada e ajudar a reduzir os impactos deste agravamento no setor”, fala o deputado.

    Entre as medidas que o secretário estadual apresentou durante a reunião constam o reordenamento anunciado pelo governo para o setor, redução de despesas – exceto pagamento de servidores – para enxugar a estrutura do sistema público e buscar manter o atendimento a todas as pessoas que precisam dos serviços, evitando chegar ao ponto mais crítico, que seria o fechamento de unidades hospitalares.

    “Foi importante contar com a presença do Pedro Elias para que ele pudesse fazer esse mapa da saúde no Amazonas, além de ter interação com o novo ministro, abrindo um canal direto. Agora vamos aguardar a liberação, o mais rápido possível, da emenda e dos recursos devidos”, explica Pauderney.

    Com informações da assessoria

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores