Fonte: OpenWeather

    Política


    Dilma pode depor à comissão do impeachment no dia 6 de julho

    Se decidir ir pessoalmente à comissão especial que analisa o seu impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff deverá comparecer ao Senado em 6 de julho, de acordo com o presidente do colegiado, senador Raimundo Lira (PMDB-PB).

    A presidente não é obrigada a comparecer. Seu advogado, o ex-ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União José Eduardo Cardozo, pode falar em seu lugar.

    Pelo calendário inicialmente previsto, a petista deveria ter ido ao Congresso na última segunda (20). O atraso ocorreu devido ao grande número de testemunhas apresentadas pela defesa da petista, que totalizaram 40 pessoas. Dessa forma, a oitiva delas irá até a próxima quarta-feira (29).

    O prazo que havia sido estabelecido pelo relator do processo, Antonio Anastasia (PSDB-MG), para esta fase era até o dia 17 de junho.

    Após a oitiva, a comissão também receberá a conclusão do trabalho da perícia realizado por três técnicos do Senado. Será marcado ainda um dia, provavelmente na próxima semana, para que eles apresentem o resultado à comissão.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores