Fonte: OpenWeather

    Política


    Ciro Gomes diz que Hissa deu “passo em falso” em voto contra Dilma, mas PDT aposta no deputado

    Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia - foto: divulgação
    Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia - foto: divulgação

    Ciro Gomes, vice-presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em entrevista à uma rádio local na manhã desta quinta-feira (14), declarou que o pré-candidato à prefeitura de Manaus, Hissa Abrahão, “deu um passo falso com o voto contrário ao partido”, no dia em que a Câmara dos Deputados, em maioria, decidiu pelo afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff (PT).

    “Hissa deu um passo em falso com o voto contra a do partido. Mas ele teve a humildade em alegar, na sua defesa, que tinha acabado de entrar no partido e vinha de um outro favorável ao impeachment e que  já tinha se manifestado. Assim, compreendemos que  tinham algumas razões compreensíveis e respeitáveis”, disse Gomes, completando que o pré-candidato é “um companheiro que o PDT escolheu apostar as fichas para o futuro”.

    Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia. “Isso aqui, para mim, é a garantia de que nossos filhos e netos terão um país extremamente cobiçado pelo mundo”, disse.

    Ele também destacou a relevância que o partido tem na capital amazonense, citando o nome do senador Jefferson Péres, que faleceu em 2008, vítima de um enfarto. “Aqui, há uma transição vigente. Desde a época do Amazonino até esta turma mais nova, que vem chegando, é representada por Hissa. O PDT tem tradição e é respeitado aqui”, declarou.

    Novo presidente da Câmara

    Sobre a nova presidência da Câmara, assumida na madrugada desta quinta pelo Rodrigo Maia, do Democratas (DEM-RJ), Ciro declarou que o deputado federal representa um “sopro de respeito ao povo”.

    “Não era mais possível a Câmara Federal passar sinais repetidos de comprometimento com uma maioria de corruptos. Todo sistema prevê a minoria ser corrupta porque tem ferramentas para tratar essa quantidade. Aqui no Brasil, chegamos ao limite porque  Eduardo Cunha, maior ‘picareta’ que já conheci na vida, apodreceu a maioria que lá estão, fazendo a Câmara perder completamente a respeitabilidade do povo”, falou o vice-presidente do PDT.

    Por equipe EM TEMPO online

    Mais lidas

    1. Cidadão pode contribuir com leis em portal

    2. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    3. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    4. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    5. Temer exonera oito ministros