Fonte: OpenWeather

    Política


    Veja como votaram os senadores do Amazonas no impeachment de Dilma

    Vanessa Grazziotin (PCdo B) foi a única a votar ‘não’. Já Omar Aziz (PSD) e  Eduardo Braga (PMDB), ex-ministro de Dilma, disseram ‘sim’ - Montagem: EM TEMPO Online
    Vanessa Grazziotin (PCdo B) foi a única a votar ‘não’. Já Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (PMDB), ex-ministro de Dilma, disseram ‘sim’ - Montagem: EM TEMPO Online

    Dois votos favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff e um contra. Foi assim que a bancada do Amazonas no Senado Federal votou nesta quarta-feira (31) no processo que decidiu a cassação, por 61 a 20, do mandato de Dilma. Vanessa Grazziotin (PCdo B) foi a única a votar ‘não’. Já Omar Aziz (PSD) e  Eduardo Braga (PMDB), ex-ministro de Dilma, disseram ‘sim’.

    Durante o seu pronunciamento, antes da votação, a senadora Vanessa Grazziotin reafirmou sua convicção de que Dilma não cometeu nenhum crime. "Não gostam que a gente fale de golpe, mas a gente fala. Um golpe não contra Dilma, mas contra o Brasil e o povo brasileiro”.

    Para o EM TEMPO Online, a parlamentar disse que o presidente Michel Temer (PMDB) tomou posse às pressas e teme pelos trabalhadores brasileiros. “Temer tomou posse sem fazer discursos, às pressas, bem típico de governos que não foram instituídos através do voto popular. Temos uma batalha, a partir de hoje, que é uma pauta bomba para os trabalhadores, um trem que passa por cima dos direitos dos trabalhadores, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241. Esse será um governo que se dobra aos interesses dos poderosos em detrimento a da grande maioria da população”, comentou.

    Os senadores Eduardo Braga e Omar Aziz não se pronunciaram durante a sessão. A reportagem do EM TEMPO Online tentou entrar em contato com os dois parlamentares, mas até o momento desta publicação não obteve resposta.

    Inabilitação política

    Depois de aprovar a perda do mandato, o Senado também manteve os direitos políticos de Dilma. Com isso, ela pode ocupar cargo público. Foram registradas três abstenções. A votação deste quesito foi feita separadamente a pedido de senadores do PT, que apresentaram o requerimento logo no início do dia e que foi acatado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, mesmo sob protestos de aliados do presidente interino Michel Temer. Na votação da inabilitação política de Dilma, Eduardo Braga e Vanessa Grazziotin votaram ‘não’ e Omar Aziz foi o único senador que votou ‘sim’.

    Por equipe EM TEMPO Online