Fonte: OpenWeather

    Política


    Ex-prefeito de Pauini e atual de Anori têm contas reprovadas pelo TCE e devem pagar R$ 100 mil em multas

    tce-divulgacao
    O TCE julgou as contas nesta terça-feira - foto divulgação

    O ex-prefeito do município de Pauini (distante 923 quilômetros de Manaus), José Vicente Amorim, teve as contas referente ao exercício de 2008 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), durante julgamento da 36ª Sessão Ordinária na manhã desta terça-feira (11). As irregularidades encontradas na prestação levaram o colegiado a decidir pelo pagamento de multas que somam a quantia de aproximadamente R$ 60 mil.

    Entre as impropriedades encontradas, destacam-se a entrega da prestação fora de prazo; atraso no envio dos relatórios de gestão fiscal e da execução orçamentária; divergências contábeis entre o sistema ACP e a prestação de contas; ausência de processos licitatórios; não aplicação do mínimo em saúde; e ausência de documentos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

    Anori

    A prefeita do município de Anori, Sansuray Pereira Xavier, também teve a prestação de contas, exercício de 2010, julgada irregular. A ausência de justificativas para a celebração de cartas-contratos, que visaram à contratação de pessoas físicas para execução de serviços de gramagem, limpeza e lavagem de poços artesianos e caixas d´água por onze meses em forma de contratação temporária, desobedeceu às determinações do art. 37, II e IX, da CF/88,

    Outras irregularidades encontradas foram a ausência de justificativa para a contratação, mediante convite, de nutricionista; e o não encaminhamento de informações acerca do registro da profissional contratada no Conselho Regional de Nutricionistas. As multas aplicadas a prefeita somam R$ 44,7 mil.

    Câmara de Nhamundá sem transparência

    Ainda foi julgada irregular a prestação de contas da Câmara Municipal de Nhamundá, exercício de 2014, de responsabilidade do vereador Antônio Magalhães Tavares Neto. De acordo com o conselheiro-relator do processo, Mario de Mello, a desatualização do Portal da Transparência da Câmara de Nhamundá, descumprindo a Lei Complementar n° 131/09 (Lei da Transparência) foi avaliada como irregular.

    O atraso, sem justificativa, no envio da remessa relativa ao 2º semestre de 2014 do Relatório de Gestão Fiscal (RGF), também foi outra impropriedade que fizeram o vereador receber cerca de R$ 13 mil em multas.

    Regulares com ressalvas

    Foram julgadas regulares com ressalvas, sem aplicação de multas, as prestações de contas do ex-secretário municipal de Educação (Semed), Darcy Humberto Michiles, referente ao exercício de 2014; do diretor-presidente da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), exercício de 2014, Edson de Oliveira Andrade. Além da Secretaria Executiva Adjunta (Sexad/Sejus), exercício de 2014, sob a responsabilidade de Cícero Romão de Souza Neto, como secretário executivo de Justiça e Direitos Humanos.

    Com informações da assessoria

    Mais lidas

    1. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    2. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    3. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    4. Temer exonera oito ministros

    5. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base