Fonte: OpenWeather

    Política


    Defesa de Lula pede suspeição de relator de recurso contra Moro

    MPF não faz pedido de prisão ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva - foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
    Os advogados de Lula alegam que o desembargador recusou-se a responder se é amigo íntimo de Moro - foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

    Nesta terça (18), os advogados do ex-presidente Lula entraram com um protocolo jurídico chamado 'exceção de suspeição' contra o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª região.

    A exceção de suspeição é um procedimento que visa afastar um juiz de determinado caso, sob a alegação de que ele não está em condições de atuar de maneira imparcial, geralmente por ser próximo de uma das partes ou ter interesses pessoais no julgamento da causa.

    Gebran é o relator de outro recurso da defesa do petista, este contra o juiz Sergio Moro. O julgamento desse procedimento, que foi protocolado em junho, está previso para quarta (19).

    A defesa pede que Gebran se declare suspeito e repasse o processo para outro juiz ou que o julgamento seja adiado até a resolução dos recursos, que foram impetrados no STJ (Superior Tribunal de Justiça) e no STF (Supremo Tribunal Federal).

    Os advogados de Lula alegam que o desembargador recusou-se a responder se é amigo íntimo de Moro e afirmam que há suspeitas de que exista uma relação de "apadrinhamento" entre os dois. Antes de entrar com o recurso, a defesa havia pedido que Gebran esclarecesse se é padrinho de um dos filhos do juiz paranaense.

    O recurso contra Moro é semelhante ao protocolado contra Gerban e argumenta que ele "não se reveste da indispensável imparcialidade para a cognição e julgamento". A defesa afirma que o juiz paraneanse tem desrespeitado "garantias fundamentais" do ex-presidente.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    2. Temer exonera oito ministros

    3. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    4. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB

    5. Amazonino Mendes empossa novos gestores