Fonte: OpenWeather

    Política


    À CPI da Rouanet, Ana de Hollanda defende rigor do MinC e blog de Bethânia

    Ana de Hollanda defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’ - foto: Foto: Elza Fiúza/|Agência Brasil
    Ana de Hollanda defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’ - foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    Ministra da Cultura de janeiro de 2011 a setembro de 2012, Ana de Hollanda prestou esclarecimentos à CPI da Lei Rouanet na Câmara, em sessão na terça-feira (18).

    Entre explicações sobre o funcionamento do mecenato, ela defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’.

    Em 2011, Bethânia conseguiu aprovação para captar, via Lei Rouanet, R$ 1,3 milhão para um blog com 365 vídeos em que declamaria poemas. Depois de diversas críticas, Bethânia cancelou o projeto.

    Para Hollanda, as queixas foram "um ataque absurdo". "Qual país não se orgulharia de ter uma Bethânia?", questionou. "Foi uma injustiça."

    Ela também disse que desvios na Lei Rouanet -como aqueles investigados na Operação Boca Livre, ação da Polícia Federal que apura fraudes em projetos- são "um percentual ínfimo em relação ao que é bem executado".

    A ex-ministra afirmou que o próprio MinC foi responsável por descobrir os desvios hoje apurados pela PF. Segundo Hollanda, a Secretaria de Financiamento e Incentivo à Cultura (Sefic), em 2011, percebeu que produtores apresentavam fotos iguais para comprovar ações culturais distintas.

    O ministério, porém, "não tem a função de punir", e o caso foi para a Controladoria Geral da União (CGU) no começo da gestão seguinte, de Marta Suplicy.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar

    2. Lava Jato investiga uso de subsidiárias da Petrobras para favorecer Odebrecht

    3. Temer exonera oito ministros

    4. Líder do governo na Aleam confirma mais três apoiadores na base

    5. Sob pressão, Aécio indica que deixará presidência do PSDB