Fonte: OpenWeather

    Política


    Eleição para presidente da AAM acontece em março

    Eleição para o comando da Associação Amazonense de Municípios deve acontecer em março. Mandato é de 2 anos - Reprodução

    A Associação Amazonense de Municípios (AAM) irá escolher na primeira quinzena do mês de março o novo presidente da entidade para o próximo biênio 2017/2018. Os prefeitos das cidades que desejam se candidatar à vaga tem até 48 horas antes da data para lançarem seus nomes ao posto. Segundo a assessoria de comunicação da AAM, a definição de datas e pormenores da escolha deve acontecer após o término do Encontro de Amazonense de Novos Gestores, marcado para acontecer nos dias 14 e 15 de fevereiro.

    O atual presidente da AAM, o ex-prefeito do município de Itamarati, João Campelo (Pros), é candidato à reeleição. O regimento interno da associação apoia que ex-presidente, vice-presidentes e ex-integrantes da diretoria também participem da disputa. No ano passado, Campelo foi multado em mais de R$ 8 mil por perseguição a funcionário público, que foi demitido em período vedado de campanha. Na época, ele foi apontado como intermediador do candidato a prefeito -que foi eleito, mas foi cassado- Antônio Maia (DEM), que determinou a exoneração pelo fato do servidor ter apoiado um candidato adversário.

    A assessoria de comunicação da associação informou que já existem diversos candidatos, mas não indicou nomes confirmados para a eleição, apenas limitou-se a dizer que os candidatos se concentram no próximo evento do grupo, mês que vem.

    Entretanto, o prefeito de Parintins, Frank Bi Garcia (PSDB), já se apresenta como aspirante ao cargo. Ele afirmou que, caso eleito, buscará o fortalecimento do municipalismo e fará a centralização e ações do governo federal e governo do Estado para reforçar a liberação de recursos. “Quero melhorar a Associação Amazonense dos Municípios, por meio de assessoramento técnico em projetos, acompanhamento jurídico de todos os municípios, que compõem a associação”, enfatizou.

    Para ele, a ação imediata a ser tomada envolve a reestruturação do grupo para proporcionar maior apoio aos municípios. “Atualmente, só há a realização de pagamento de mensalidade e pouco retorno para as cidades”, completou.

    A AAM é uma sociedade civil de âmbito estadual, sem fins lucrativos, com sede e foro em Manaus. É filiada à Confederação Nacional de Municípios (CNM) e promove a articulação e mobilização em defesa dos interesses dos municípios amazonenses.

    Fabiane Morais

    EM TEMPO

    Mais lidas

    1. Plenário pode votar criação de polícia penal e regulamentação do Uber

    2. Amazonino estabelece medidas para ‘arrumar a casa’

    3. Cidadão pode contribuir com leis em portal

    4. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    5. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar