Fonte: OpenWeather

    Política


    Vereadores se articulam para disputar as comissões da CMM

    Escolha dos presidentes e membros das 20 comissões técnicas acontece dia 7, afirma Wilker Barreto (de gravata vermelha) - Tiago Corrêa/Dircom/CMM

    Ao menos três blocos devem disputar as 140 vagas nas 20 comissões técnicas da Câmara Municipal de Manaus (CMM), cuja escolha está prevista para acontecer no dia 7 de fevereiro, na segunda sessão plenária.

    Entre as comissões mais disputadas entre os vereadores estão a de Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), Comissão de Finanças, Economia e Orçamento (CFEO), Comissão de Educação (Comed) e Comissão de Defesa do Consumidor (Comdec).

    De acordo com o regimento da casa, cada vereador é obrigado a participar de no mínimo três comissões técnicas e no máximo seis. E cada uma delas é composta por sete nomes, dos quais serão indicados pelos blocos de composição partidárias, isso obedecendo o critério da proporcionalidade.

    O presidente do Legislativo municipal, vereador Wilker Barreto (PHS), informou que as escolhas dos membros das comissões deverão ser feitas a partir da criação dos blocos partidários. Segundo ele, quem tiver maior coeficiente poderá indicar os nomes para compor as comissões, exercendo o critério da proporcionalidade.

    Barreto adiantou que seu partido, o PHS, está trabalhando na possibilidade de formar um bloco com o PTN, em que juntos somam oito vereadores, que tanto podem servir para a divisão nas comissões quanto para o núcleo do Pequeno Expediente – período em que os parlamentares usam a tribuna do plenário para informes e comunicações rápidas.

    Nessa “aliança”, o PHS poderá indicar para a presidência da CCJ, por exemplo, a vereadora Professora Jaqueline, para a Comissão de Transporte, o novato Bessa e para conduzir a Comissão de Educação, o vereador Professor Samuel.

    “Uma vez decididos os blocos, os próprios vereadores entram como acordo para decidir quais as comissões eles querem participar. Eu pretendo fazer isso no dia 7 de fevereiro. Sobre os possíveis blocos, está muito disperso. Todos estão conversando, na minha avaliação deve ser construído três blocos”, adiantou o presidente da casa.

    Caso não haja consenso sobre presidência e membros das comissões, Wilker afirma que poderá haver uma eleição interna dentro de cada comissão para resolver a questão.

    O vereador Chico Preto (PMN), que disputou as eleições para a mesa diretora, agora tenta uma vaga na CCJ. Segundo o parlamentar, a motivação para integrar a comissão é pelo fato de ser advogado e a comissão tratar da legalidade e constitucionalidade dos projetos de leis que irão tramitar na casa.

    “O segredo é a alma do negócio. Então não podemos falar sobre quais partidos estamos articulando, mas uma coisa é certa, todos conversam com todos e tentam enquadrar nomes para compor as comissões”, disse o vereador.
    Outra comissão que o vereador afirmou que vem chamando sua atenção é a de Turismo, Indústria e Comércio (Comtic). Chico Preto disse, ainda que os colegas devem ficar atentos para a questão da proporcionalidade dos partidos integrando as comissões técnicas da casa.

    A vereadora Joana D´arc (PR), que também disputou mesa diretora, disse que vem mantendo diálogo com o colega Chico Preto e tem interesse de integrar a Comissão de Constituição e Justiça. Segundo ela, o fato de ser advogada a credencia a fazer parte desta equipe. A vereadora não descarta a possibilidade de criar um bloco para indicar nomes que vão compor o corpo técnico das comissões.

    Joana D’Arc disse também que tem interesse em presidir a Comissão de Vigilância Permanente da Amazônia e Meio Ambiente (Comvipama), mas que tudo dependerá das definições dos blocos partidários. “Infelizmente não depende de mim, mas tenho bastante interesse, uma vez que eu sou umas das únicas vereadoras que levantam essa bandeira”, disse a parlamentar.

    Ela não descarta também a hipótese de tudo já está pré-definido, numa espécie de acordão entre os demais parlamentares e com os nomes já direcionados para presidência e membros das comissões técnicas.

    Henderson Martins
    EM TEMPO

    Mais lidas

    1. Plenário pode votar criação de polícia penal e regulamentação do Uber

    2. Amazonino estabelece medidas para ‘arrumar a casa’

    3. Cidadão pode contribuir com leis em portal

    4. Um dos mais importantes juristas brasileiros, Ives Gandra analisa crise no país

    5. Democracia ameaçada pelo avanço do discurso militar